Cenários

Estadão

26 Abril 2012 | 09h08

Diferentemente dos fotógrafos populares, que usavam a paisagem como cenário, os fotógrafos de estúdio costumavam contar com cortinas para driblar as sombras e uma parafernália de objetos – selecionados segundo o perfil do cliente e o cenário que ele e o fotógrafo desejavam montar. Inspirados no que se fazia no exterior, sobretudo Paris, painéis e panos de fundo refinados eram utilizados para transportar o retratado para paisagens tão distintas quanto um jardim europeu ou uma floresta tropical. Alguns também tentavam reproduzir cartões-postais. Repare como o Corcovado carioca parecia no estúdio de L. Guerra mais pontudo que o original.

No retrato de L. Guerra, o Corcovado mais pontudo que o normal

Muitos cenários inspiravam-se claramente em retratos de pintura. Outras imagens lembravam cenas de teatro. Acessórios também eram muito usados para compor a imagem e podiam incluir de uma cadeira e uma simples mesinha para apoiar a mão até colunas falsas, escadas, poltronas, cortinas, leques e animais empalhados. Como mostra a foto da menina sentada com os pés apoiados num banquinho de descanso e um dos braços apoiado numa mesa de vime com um vaso de flores em cima. No painel de fundo, vê-se uma espécie de cortina presa ao lado de uma coluna, representando uma porta abrindo-se a um terraço.

Uma foto, vários acessórios