A curiosa Luta Islandesa

A curiosa Luta Islandesa

Lizbeth Batista

19 Março 2011 | 11h43

Em 19 de março de 1911, a edição do Estado, apresentava aos seus leitores uma nova modalidade esportiva, a luta islandesa.

A matéria descrevia alguns golpes dessa luta, e contava como poderia ser usada no caso de um assalto, como autodefesa.

Embora as técnicas demonstradas no tablado fossem impressionantes, a reportagem alertava não ser possível afirmar “que resultado poderia dar num conflito verdadeiro.”

Domingo, 19 de março de 1911

(…) Há poucos annos, appareceu-nos jui-jitsu que, saindo do Japão, atravessou triumphante o mundo inteiro.

Apparece-nos agora a luta islandeza, a última novidade sportiva que se exhibe todas as noites, alcançando êxito excepcional, sobre o tablado de um “music-hall” de Londres.

A gravura que acima publicamos representa uma scena da nova luta. E’ um punhado de homens atirados ao chão por um homem só que applica os seus conhecimentos de luta islandeza.

Esta outra gravura mostra como um assaltante armado de duas facas não consegue ferir o seu adversário.

O lutador islandez, depois de fingir um golpe que não põe em pratica, agarra os pulsos do assaltante, derruba-o e com a perna direita immobilisa-lhe a esquerda. Não lhe resta senão desarmar o seu aggressor para abatel-o completamente.

Como se vê claramente pelos  “clicnés” reproduzidos, o novo Sport leva grandes vantagens ao “jiu-jitsu”, o “catch as catch can” e a luta greco-romana, pois permitte defender-se até dos ataques de homens armados. (…)

Em theoria está muito bem. (…) O que resta sabe , porém, e é muito mais interessante, é que resultados poderiam dar como meio de defesa num conflicto verdadeiro.

Pesquisa e Texto: Lizbeth Batista
Siga o Arquivo Estadão: Twitter@arquivo_estadao e Facebook/arquivoestadao