Aborto: um debate nas páginas do jornal

Aborto: um debate nas páginas do jornal

Edmundo Leite

12 Abril 2012 | 19h14

Ao longo de décadas, a questão do aborto é um assunto recorrente nas páginas do jornal. Assim como hoje, quando o STF decidiu pela autorização da interrupção da gravidez em caso de fetos anencéfalos, as notícias discutiam a autonomia feminina, o problema da clandestinidade dos procedimentos, bem como os argumentos contrários. Além dos debates, a legalização do aborto em outros países também era noticiada.

Em julho de 1967, o Estadão publicava a decisão do parlamento inglês de regulamentar o aborto em casos de risco de saúde para a mãe ou possibilidade de a criança nascer “defeituosa”, termo usado à época.

O Estado de S. Paulo – 15/7/1967

No mesmo ano, poucos meses antes, o enviado especial Lenildo Tabosa Pessoa informava sobre as divergências sobre o aborto nos debates da VII Conferência Internacional de Planificação da Família, em Santiago do Chile.

O Estado de S. Paulo – 14/4/1967

Cinco anos antes, um caso rumoroso era destaque:  o casal Finkbine viajava dos Estados Unidos à Suécia para realizar um aborto legal.  A alegação do casal era de que a mãe havia tomado a substância thalidomida, que causa má formação do feto. Como a prática não era permitida nos Estados Unidos, o casal decidiu ir para o país europeu.

O Estado de S. Paulo – 5/8/1962

Ao noticiar a  regulamentação do aborto na Itália, em 1978, o Estadão informava que o Partido Democrata Cristão (PDC), de orientação católica, preferiu aprovar a lei por considerar que era melhor uma legislação regulamentadora do que a prática sem qualquer limite.

O Estado de S. Paulo – 15/4/1978

Pesquisa e Texto:  Carlos Eduardo Entini e Edmundo Leite
Siga o Arquivo Estadão: twitter@estadaoarquivo | facebook/arquivoestadao | Instagram