Em 1911, calças e aviões também eram coisas de mulher

Em 1911, calças e aviões também eram coisas de mulher

Lizbeth Batista

25 Março 2011 | 09h08

Uma fotografia era o grande destaque na edição de 25 de março do Estado.

O momento capturado naquela imagem representava o perfil da mulher do século XX. Usando calças ela estava pronta para alcançar o céu.

A s jupe-culottes possibilitavam maior liberdade de movimentos, e vinham para atender as novas demandas femininas

Em 1911, as mulheres lutavam por participação social.  A incorporação das calças ao vestuário feminino é símbolo dessa luta.  Representam a busca por igualdade de direitos e liberdade de ação. Nesse momento, áreas tidas como essencialmente masculinas, abriam espaço para as mulheres.

A aviação era uma dessas áreas.

Muitas mulheres participaram dos primórdios da aviação.  A Baronesa de Laroche,está entre essas pioneiras aviadoras. Em março de 1910, Raymonde de Laroche conseguiu seu brevê, tornando-se  a primeira mulher a obter uma licença para pilotar aviões. Em 1911, foi a vez da inglesa Hilde Hewlett.

No ano seguinte, em agosto de 1912, a americana Harriet Quimby, num feito notável, voou de Dover, na Inglaterra, até Calais, na França. Harriet foi a primeira mulher a atravessar o Canal da Mancha.

Pesquisa e Texto: Lizbeth Batista
Siga o Arquivo Estadão: Twitter@arquivo_estadao e Facebook/arquivoestadao