Em 1911, Revolução Mexicana estava apenas começando

Em 1911, Revolução Mexicana estava apenas começando

Lizbeth Batista

22 Julho 2011 | 09h09

Porfírio Díaz

Um telegrama vindo do México e publicado na capa do Estado de 22 de julho de 1911 dava uma idéia do cenário político do México.

Sabbado, 22 de julho de 1911

 

Após a renúncia e o exílio de Porfírio Diaz, o México ainda vivia um momento de efervescência social.  A partida do antigo ditador trouxe poucas mudanças efetivas para a população mexicana.

Uma vez em curso, era difícil  prever o desfecho da Revolução.  Diferentes grupos rebeldes encontravam-se armados e com disposição para luta.  O ano de 1911 seria apenas o começo de um processo revolucionário de difícil resolução.

O país vivia um momento crítico onde um governo havia caído, sem que outro governo suficientemente forte se constituísse.  Madero sabia que a organização de eleições seria o caminho para garantir um projeto Democrático para o México e para se para restabelecer a ordem no país.

Enquanto isso, no exílio, o general tombado, Porfírio Diaz visitava o túmulo de Napoleão I.

 

Lá prestava sua homenagem “beijou a espada com que Napoleão commandou o exercito francez na batalha de Austerlitz, a qual repousa sobre o seu tumulo.”

 

Pesquisa  e texto: Lizbeth Batista