Há um século, pais americanos tentavam proteger suas donzelas

Lizbeth Batista

06 Março 2011 | 10h45

Uma curiosa nota chamava a atenção na edição do Estado de 06 de março de 1911.

A nota contava como a  preocupação de pais americanos com suas filhas donzelas levou-os a  considerar meios inusitados, até mesmo burocráticos,   para melhor resguardá-las.

Criaram  uma associação de pais  com a missão de  “proteger a felicidade das filhas dos nossos consócios” , a agremiação  realizava   monitoramento e avaliação dos rapazes  solteiros interessados nessas donzelas.

Segunda-feira, 06 de março de 1911


Há muitos celibatários que vivem a projectar casamento e que nunca se casam. São os eternos indecisos. Essa indecisão pode ser para elles uma garantia de prudência  mas para os paes de família é um verdadeiro pezadello.

O pezadello é tal que, nos Estados Unidos, acaba de se fundar uma “Parental Surveillance Association of North America” para “ resolver a situação criada pelos solteirões que, sem projectos bem accentuados, monopolisam a attenção das moças casadeiras”.

Eis, nos termos dos seus estatutos, o modo como ella opera:

“ O caracter de todos os homens que assiduamente visitam as filhas dos nossos consócios é submettido a uma syndicancia feita a pedido das famílias, ás quaes será, depois, entregue um relatório secreto do que  se apurar. Se a família, instruída por esse relatório considerar que o individuo não tem o estofe de um marido acceitavel, o rapaz é convidado por uma carta (formula p. 1) a cessar as suas visistas. Se a família acha o contrario o rapaz recebe então, a carta da formula n. 2. Essa carta é assim concebida: “Meu caro senhor, desejávamos ter ligeira conversação com o sr. a propósito da corte que o sr. está fazendo á filha de sr. X… As suas intenções são sérias ou não? De algum tempo a esta parte começamos a duvidar da seriedade dellas. O sr. “monopolisou” inteiramente a companhia daquella moça. Se o sr. quer entrar em negocio, diga. Mas se não quer tomar aquillo a sério, ponha termo ás suas visistas. Vá pastar em outras pastagens. A nossa missão é proteger a felicidade das filhas dos nossos consócios “yours Truly, Parental Surveillance Association of North America.”

A associação affirma que os seus primeiros esforços já produziram optimos resultados. Mas não diz quaes sejam. Não se sabe se conseguiram augmentar o numero dos casamentos ou diminuir o numero dos “flirts”.

O que deve ter, sem duvida, é atrapalhado bem a vida dos pobres solteirões.

Pesquisa e Texto: Lizbeth Batista
Siga o Arquivo Estadão: Twitter@arquivo_estadao e Facebook/arquivoestadao

Mais conteúdo sobre:

1911ComportamentoEstados Unidos