Marcos: o início da santidade

Marcos: o início da santidade

Edmundo Leite

04 Janeiro 2012 | 20h36

Após 20 anos de carreira profisisonal, sempre defendendo o Palmeiras, o goleiro-santo-herói Marcos anunciou a aposentadoria. Apelidado de São Marcos pela torcida após operar milagres na Libertadores de 1999, o goleiro iniciou a sua ascensão celestial num jogo contra o arquiinimigo (diabólico?) Corinthians nas quartas-de-final da competição sul-americana que acabaria vencida pelo Palmeiras. “As mãos de Deus estiveram comigo”, declarou o goleiro naquela noite.

Marcos mostrou-se desconfortável algumas vezes com a alcunha de santo. Mas, como bons fiéis, os torcedores palmeirenses lhe prestarão devoção eterna.

O Estado de S.Paulo – 06/5/1999

O Estado de S.Paulo – 07/5/1999

Em 2011, o jornalista e escritor Celso de Campos Jr. passou um tempão aqui no Arquivo do Estadão pesquisando para escrever a recém-lançada biografia “São Marcos de Palestra Itália”.

Siga o Arquivo Estadão: Twitter@arquivo_estadao e Facebook/arquivoestadao