Mazzaropi, o caipira-símbolo do cinema

Mazzaropi, o caipira-símbolo do cinema

rosesaconi

09 Abril 2012 | 09h20

Jeca. Não há melhor definição para Amácio Mazzaropi, o ator que fez sucesso com o simples e perfeito personagem de um caipira brasileiro. Filho de um imigrante italiano, nasceu em São Paulo,  no dia 9 de abril de 1912. Foi o mais bem sucedido empresário (ator, cineasta e produtor) do cinema popular. Mazzaropi estreou como ator nos anos 30, com um personagem simplório, Genésio. Descoberto como talento, passou a apresentar um programa na Rádio Tupi, onde contava ‘causos’ intercalados por números musicais, até ser contratado pela Companhia Vera Cruz para fazer cinema.

Em homenagem ao centenário de nascimento do ator, a Cinemateca de São Paulo realiza, neste mês, uma mostra com apresentação de alguns de seus filmes. Nas páginas do Estadão e JT um pouco da história desse artista que será sempre lembrado como um dos grandes nomes do cinema nacional.

O Estado de S. Paulo, 9/7/1952 – Estreia na grande tela em Sai da Frente, no papel de Isidoro, um motorista de caminhão.

O Estado de S. Paulo, 7/9/1955A Carrocinha

 O Estado de S. Paulo, 31/8/1956O Gato de Madame

O Estado de S. Paulo, 15/1/1965Meu Japão brasileiro

Jornal da Tarde, 6/2/1970Uma pistola para Djeca

O Estado de S. Paulo, 14/6/1981 – Morreu no dia 13 de junho de 1981, com 69 anos, de câncer na medula

Pesquisa e Texto: Rose Saconi
Siga o Arquivo Estadão: twitter@estadaoarquivo | facebook/arquivoestadao | Instagram