Buracos são armadilhas em ciclovia da zona oeste
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Buracos são armadilhas em ciclovia da zona oeste

Ciclistas relatam que o perigo é ainda maior à noite na ciclovia da Rua João Moura, que liga a Vila Madalena ao Hospital das Clínicas

Renata Okumura

26 Julho 2017 | 17h48

SÃO PAULO – Ciclistas relatam que a ciclovia da Rua João Moura, na Vila Madalena, na zona oeste da cidade, está danificada. A presença de buracos e a falta de pintura são situações observadas, principalmente na altura do número 2.300, onde está ocorrendo uma obra, relata o ciclista Marcelo, que preferiu não dar o sobrenome.

“ Moro perto do metrô Vila Madalena e passo com frequência de bicicleta na ciclovia. Nesta via, um empreendimento tem causado transtornos aos ciclistas. Na verdade, está na iminência de causar um acidente mais grave, pois numa eventual distração ou quem passa por lá de noite pode não ver os buracos e cair perto da guia”, alertou.

Buracos são armadilhas na ciclovia da Rua João Moura (Foto: Ciclista Marcelo)

A pista da ciclovia da Rua João Moura, que liga a Vila Madalena ao Hospital das Clínicas, está danificada e cheia de ondulações. “Deveria ser colocada, no mínimo, uma sinalização para quem passa por estes pontos”, destacou Marcelo.

No facebook da Ciclovia João Moura, há relatos de ciclistas que utilizam constantemente a via. “Tá chovendo? Tá trânsito? Eu vou de bike mesmo!”, como é o caso do Silvio Claro. Diante do grande número de usuários, a reforma da ciclovia é fundamental. “Eu trabalho de bicicleta e tenho receio de sofrer algum acidente por causa dos buracos e ondulações. Como o tráfego na região também é grande, nem sempre é possível desviar dos buracos”, reforçou a administradora Ana Maria.

Ausência de pintura na ciclovia da Rua João Moura é maior perto do número 2.300 (Foto: Renata Okumura)

Procurada, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) ainda não se pronunciou sobre as queixas.

Ciclovia da Avenida Cruzeiro do Sul. Não somente os pedestres, mas quem se desloca de bicicleta para o trabalho ou escola está inseguro com a falta de iluminação pública na cidade. A moradora da zona norte Maria Luch relata o medo de sair à noite. “Nem mesmo para uma caminhada, é impossível não sentir receio. Ciclistas também estão com medo”, destacou. A ciclovia da Avenida Cruzeiro do Sul, que irá receber iluminação pública, tem no total cerca de 2.100 metros de extensão. Segundo o Departamento de Iluminação Pública (Ilume), estão sendo instalados 27 postes de cinco metros – com duas lâmpadas de 150 Watts, num total de 54 lâmpadas.

Ponte Cidade Universitária (Foto: Renata Okumura)

Ciclovia da Ponte Cidade Universitária. Recentemente a reportagem da Blitz Estadão esteve na Ponte Cidade Universitária, na zona oeste da capital paulista. Por lá, ciclistas também relataram a falta de sinalização e o receio de atravessar a via à noite. Pedro Mendes estuda na Universidade de São Paulo (USP) e cobra melhorias. “Eu utilizo a bicicleta como meio de locomoção e acredito que é preciso melhorar a iluminação e a sinalização”, destacou. Na época, o Ilume prometeu analisar a falta de luz na Ponte Cidade Universitária, relatada pela população.

Quer compartilhar alguma reclamação em seu bairro? Mande seu relato por WhatsApp (11) 9-7069-8639 ou para o email blitzestadao@estadao.com.