Estudantes de Fatec e de Etec da zona sul estão apreensivos com arrastões na região
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Estudantes de Fatec e de Etec da zona sul estão apreensivos com arrastões na região

Alunos informam que escolas já solicitaram ronda escolar para combater assaltos

Renata Okumura

11 Julho 2017 | 19h28

SÃO PAULO – Olhar desconfiado e passos acelerados e apreensivos – é desta forma que a moradora Maria do Carmo passa todos os dias pela Rua Frederico Grotte, no Jardim São Luís, nas proximidades da Avenida Guarapiranga, na zona sul da cidade. Segundo ela, nem mesmo a iluminação adequada inibe a ocorrência de assaltos nas proximidades da Faculdade de Tecnologia de São Paulo (FATEC) e Escola Técnica Estadual de São Paulo (ETEC).

Alunos da ETEC estão receosos com arrastões (Foto: Renata Okumura)


“Falta segurança. Eu evito andar por aqui à noite, mas às vezes eu preciso passar nesta rua. Faz parte do meu trajeto diário. Meu esposo foi assaltado, recentemente. Era 5h30 da manhã. É horrível. Também não é seguro caminhar pela Avenida Luís Gushiken. Por lá, é muito deserto. É preciso ter mais policiamento na região”, cobrou a moradora.

Estudantes estão apreensivos com o registro de assaltos (Foto: Renata Okumura)

Quem também está inseguro é o estudante de administração da ETEC, Marcelo, que preferiu não dar o sobrenome. “Somos frequentemente roubados na saída da escola e às vezes ocorre até arrastão. Levam todos nossos pertences. A Polícia Militar (PM) diz que não fornece uma viatura para a escola por falta de solicitação de ofício, mas a administração da escola informa que já providenciou”, destacou.

Rua Frederico Grotte (Foto: Renata Okumura)

Segundo relatos, as ocorrências são registradas, principalmente à noite, entre 21h e 23h. “Saímos da escola com medo, não do assalto em si, que já estamos acostumados, mas principalmente pelo medo de perdermos nossas vidas”, lamentou o estudante.

A reportagem da Blitz Estadão esteve na Rua Frederico Grotte e Avenida Luís Gushiken e constatou que as vias são muito desertas, principalmente à noite.

A PM, através do Primeiro Batalhão de Polícia Militar Metropolitano, esclarece que utiliza diversas ferramentas de análise criminal para distribuir o policiamento ostensivo da forma necessária, visando coibir a prática de delitos. “O 1º BPM/M vem diversificando a maneira de atuar, procurando distribuir as viaturas, onde o indicador criminal vem aumentando, e para que possamos atingir o resultado esperado, pedimos a colaboração da população no sentido de registrar o fato, não só formalmente, mas por meio de boletim de ocorrência, pois só assim chegará ao conhecimento o que vem ocorrendo na região”, reforçou a nota.

Buracos. Moradores colocaram tijolos quebrados em buracos da Rua Acédio José Fontanete com a Rua Frederico Grotte. Na região também há muitas calçadas quebradas. A Prefeitura Regional M´Boi Mirim informa que o local citado já está em análise. Por se tratar de reparo de galerias pluviais, a obra está prevista para ser executada nos próximos dias e em conjunto com a Sabesp. “Sobre as calçadas quebradas, a equipe de fiscalização irá notificar os responsáveis pelos passeios particulares e, se houver passeio público, será incluso na programação para conserto nos próximos 20 dias”, reforçou.

Quer compartilhar alguma reclamação em seu bairro? Mande seu relato por WhatsApp (11) 9-7069-8639 ou para o email blitzestadao@estadao.com.

Mais conteúdo sobre:

AssaltosArrastãoFatecEtecZona Sul