Parque da Aclimação enfrenta falta de vigilância e de manutenção
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Parque da Aclimação enfrenta falta de vigilância e de manutenção

Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente informa que já iniciou o processo de concessão de 14 parques e aguarda o interesse por parte de ONGs e empresas

Renata Okumura

11 Maio 2017 | 18h07

SÃO PAULO – Logo na entrada do Parque da Aclimação, na zona sul da cidade, a reportagem da ‘Blitz Estadão’ encontrou muitas folhas secas e troncos de árvores amontoados como se fossem entulho. A ausência de vigilância também chamou a atenção.

Folhas secas e troncos de árvores espalhados pelo Parque da Aclimação (Foto: Renata Okumura)

A tradutora aposentada Mônica Schmidt, de 60 anos, pratica caminhada todos os dias e observa que a situação se agravou desde o fim do ano passado. “Um espaço tão agradável, mas que está agora com cara de abandonado. O mato ao redor do lago está muito alto. E manutenção e vigilância são importantes”, reclamou.

Mônica Schmidt observa que a situação se agravou desde o fim do ano passado (Foto: Renata Okumura)

Adquirido pela Prefeitura em 1939 e tombado em 1986 pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico Arqueológico, Artístico e Turístico(Condephaat), o Parque da Aclimação é frequentado principalmente por moradores da Liberdade, do Paraíso e do centro.

Com 112.000 m², o espaço oferece lazer para crianças e adultos. Porém, os cuidados deixam a desejar. “Também tem banheiro que está interditado”, destacou Mônica Schimidt.

Morador há quinze anos da região, Marco Antônio Portugal também lamenta o abandono do parque. “Quando está quente dá para sentir o cheiro ruim do lago. Tem também muito mato ao redor do lago com altura de um metro e meio. E pela pista asfaltada, onde é possível caminhar e tem bancos para as pessoas sentarem, dá para ver nas árvores muitas teias e aranhas”, acrescentou Portugal.

Parque da Aclimação (Foto: Renata Okumura)

A Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente de São Paulo informa que não está medindo esforços para que, o mais breve possível, possam ser restabelecidos os serviços de manutenção e conservação de todos os parques municipais, com a otimização dos custos.

Os serviços de poda e roçagem estão inseridos no escopo de fornecimento das novas contratações que estão sendo formuladas pela pasta, por meio de licitações, em andamento.

Em paralelo a isso, a prefeitura anunciou o início do processo de concessões de 14 parques e o Parque da Aclimação está nesta lista.“Sendo assim, caso haja interesse por parte de ONGs ou empresas, e condições para que estas se responsabilizem pelas despesas do local, o Parque da Aclimação, em breve, será concessionado a fim de oferecer melhores condições à população. Esta é uma das alternativas encontradas para que o problema seja resolvido.Afinal, o Parque da Aclimação está, desde o fim do ano, sem equipe de vigilância e sem pessoal de poda e roçagem, devido aos contratos vencidos na gestão passada”, reforçou o posicionamento.

Referente às aranhas, a nota esclarece que são do gênero Nephila, muito comuns em ambientes de Mata Atlântica, bioma no qual o município de São Paulo está inserido. Possuem um papel fundamental no que se refere ao controle da população de muitos invertebrados, incluindo mosquitos e outros artrópodes de maior porte (mariposas e borboletas).  “Elas prestam um serviço ambiental muito importante: controlam a proliferação de mosquitos que são vetores de doenças como, por exemplo, a dengue, a zika e a chikungunya”, esclarece a secretaria.

Quer compartilhar alguma reclamação em seu bairro? Mande seu relato por WhatsApp (11) 9-7069-8639 ou para o email blitzestadao@estadao.com.

Mais conteúdo sobre:

ParqueAclimaçãoAbandono