Moradores cobram acessibilidade e limpeza em praça da Bela Vista
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Moradores cobram acessibilidade e limpeza em praça da Bela Vista

Prefeitura Regional Sé informa que fará uma avaliação no local para averiguar as reais condições do terreno

Renata Okumura

11 Janeiro 2018 | 15h39

SÃO PAULO – Moradores da Bela Vista, na região central da cidade, relatam que na Rua dos Ingleses, na altura do número 455, existe uma pequena praça com um parquinho. Mas, segundo eles, o local não recebe cuidados há anos.

Praça na Bela Vista Foto: Renata Okumura

“A praça está suja, com vegetação alta e é frequentada por usuários de drogas. Também é inacessível para deficientes físicos. Sou morador da região e cadeirante e não posso frequentar a praça”, relatou Ivan Baccaro.

A praça é cercada por grades. Do lado de fora, onde ficam estacionados vários taxistas, é possível avistar a alta vegetação e restos de folhas e galhos pelo chão.

“Em 2016, fiz várias reclamações no site da prefeitura, mas até agora o problema permanece”, ressaltou o morador.

Moradores cobram limpeza e acessibilidade Foto: Renata Okumura

A Prefeitura Regional Sé informa que fará uma avaliação no local para averiguar as reais condições do terreno. Para realizar o corte de grama é necessário que não esteja chovendo e, assim que possível, entrará na programação de execução dos serviços.

LEIA TAMBÉM: Buracos profundos viram ‘armadilhas’ para motoristas na Bela Vista

Um dos buracos mais perigosos na região da Bela Vista está localizado na Rua José Tenáglia com a Rua São Vicente. Ao descer a ladeira é praticamente impossível avistar o tamanho da ‘cratera’ que pode estragar o veículo, assim como provocar um acidente.

“Ruas imundas e esburacadas. Cito principalmente a Rua Manoel Dutra, Rua 13 de Maio e Rua Conselheiro Carrão. Bares irregulares funcionam durante a madrugada”, criticou o morador Marcelo Meneses.

Quer compartilhar alguma reclamação em seu bairro? Mande seu relato por WhatsApp (11) 9-7069-8639 ou para o email blitzestadao@estadao.com.