Pacientes reclamam de falta de medicamento em Ambulatório de Especialidades
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Pacientes reclamam de falta de medicamento em Ambulatório de Especialidades

Portador de esclerose múltipla chegou a ficar mais de dez dias sem receber o remédio controlado na unidade Várzea do Carmo, no Cambuci

Renata Okumura

05 Maio 2017 | 17h05

SÃO PAULO – Pacientes e familiares se queixam de falta do remédio Betainterferona, no Ambulatório de Especialidades Várzea do Carmo, localizado na Rua Leopoldo Miguez, 327, no Cambuci, na região central da cidade. A reportagem da ‘Blitz Estadão’ foi até o local, nesta sexta-feira, 5, e observou que é  grande o número de pessoas que procuram a unidade médica.

Ambulatório de Especialidades Várzea do Carmo (Foto: Renata Okumura)

Um familiar, que preferiu não ser identificado, relatou o drama do pai. “Ele tem 58 anos e foi diagnosticado com esclerose múltipla há um ano. Sem o remédio, o quadro médico das pessoas com a doença crônica piora bastante, com novos surtos e a regressão do tratamento. Um detalhe importante é que o Interferon custa muito caro, mais de R$ 7 mil. A maior parte dos portadores acaba realmente ficando sem alternativa”, lamenta.

Maria de Lourdes, 47, anos, é paciente da unidade médica da região central de São Paulo e confirma: “Hoje mesmo um senhor foi embora do ambulatório dizendo que não encontrou o medicamento que ele toma. Tem vezes que os atendentes até dizem que não há previsão para a chegada de alguns remédios de alto custo”.

Pacientes na sala de espera (Foto: Renata Okumura)

Em nota, o Núcleo de Assistência Farmacêutica esclarece que o medicamento Betainterferona 1A 44mg está disponível na Farmácia de Alto Custo Várzea do Carmo. A indisponibilidade temporária decorreu de atraso na entrega de medicamento por parte do Ministério da Saúde, responsável pela aquisição e distribuição do medicamento aos Estados.

Ambulatório de Especialidades Várzea do Carmo (Foto: Renata Okumura)

Procurado, o Ministério da Saúde informou que o fornecimento do medicamento Betainterferona para o Estado de São Paulo está regular. Foram solicitadas 9,6 mil seringas de Betainterferona de 22mcg, que foram entregues no dia 17 deste mês. Para Betainterferona 44mcg, foram solicitadas 25.812 seringas e entregues em duas datas: 17 e 25 de abril. Portanto, todo quantitativo solicitado foi aprovado e entregue à Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo. “Cabe informar que a distribuição nos municípios e nas farmácias é de responsabilidade do Estado”, reforçou a nota.

Quer compartilhar alguma reclamação em seu bairro? Mande seu relato por WhatsApp (11) 9-7069-8639 ou para o e-mail blitzestadao@estadao.com.

Mais conteúdo sobre:

SAÚDEATENDIMENTOREMÉDIOFALTA