Em reconstrução, região serrana do Rio vira retiro para ‘não-foliões’

Estadão

08 Março 2011 | 13h14

Da Agência Brasil

BELO HORIZONTE – Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo, na região serrana do Rio de Janeiro, não têm folia de rua este ano. Bastante procuradas pelos turistas no carnaval, as cidades ainda estão em processo de reconstrução das áreas devastadas pelas chuvas de janeiro, mas atraem turistas em busca de descanso.

Aos poucos, os moradores retomam a rotina, mas as prefeituras das três cidades afirmam que a tristeza não torna o clima favorável à folia. Além disso, preferem concentrar as verbas municipais na reconstrução, em vez de patrocinar as folias de rua.

Segundo o secretário de Turismo de Nova Friburgo, José Carlos da Mota, a decisão de cancelar as festas de rua reflete o desejo da própria população. “Houve uma manifestação popular para a não realização deste carnaval”, disse.

Apesar do cancelamento do carnaval na região, a Associação das Indústrias de Hotéis do Rio de Janeiro registra taxa de ocupação de 65% nos hotéis de Petrópolis e de 70% em Teresópolis e Nova Friburgo. Normalmente, no carnaval, a rede hoteleira desses municípios, formada por 271 hotéis e pousadas, chega a ter 90% de ocupação.

O vice-presidente da associação, Michel Chertouh, considera o índice razoável. De acordo com ele, a queda na taxa de ocupação deve-se ainda à preocupação de alguns turistas. “O momento do estado do Rio no nível turístico é extremamente positivo. Acho que a gente não pode tomar isso como cancelamento, mas como uma medida de cautela de pessoas que deixaram de fazer reserva com uma preocupação”, avalia.

Em Teresópolis e Petrópolis, as fortes chuvas não atingiram o centro das cidades, onde se concentram as atrações turísticas. Em Nova Friburgo, apenas o teleférico da cidade está desativado. Os demais pontos turísticos funcionam normalmente, assim como os hotéis.

Mesmo sem carnaval, as cidades da região serrana do Rio são uma opção para quem prefere descansar em vez de cair na folia. “O apelo do carnaval não influencia tão fortemente o turismo que vem para cá. Por isso, a ocupação está retornando”, ressalta Mota. Segundo ele, o desafio agora é resgatar a imagem de Nova Friburgo. “Essa sim [a imagem da cidade], foi afetada com essa tragédia. Isso é um trabalho que temos de fazer para que os turistas voltem na alta temporada, que começa em maio”, acrescenta.

Toda a verba reservada para o carnaval, cerca de R$ 1 milhão em Petrópolis e Teresópolis e de R$ 1,8 milhão em Nova Friburgo, será revertida para a recuperação das cidades e assistência às vítimas das chuvas.