Puxador da Grande Rio diz que escola preferia ser julgada

Estadão

07 Março 2011 | 23h31

Roberta Pennafort, de O Estado de S. Paulo

RIO – O puxador do samba da Grande Rio, Wantuir, disse há pouco que os integrantes da escola, a mais afetada pelo incêndio na Cidade do Samba há um mês, preferiam ser julgados este ano, e não desfilar como hors concours, como definiu a Liga Independente das Escolas de Samba.

“Nós tínhamos um carnaval esplendoroso, pronto. Vai ser maravilhoso hoje também, vamos representar bem Florianópolis, mas mesmo do jeito que foi, com um mês para refazer tudo, gostaríamos de disputar. É o que faz ficar gostoso”, contou Wantuir, referindo-se ao enredo, “Y-Jurerê Mirim – A encantadora ilha das bruxas”, que fala de lendas e da cultura da cidade de Florianópolis.

O incêndio destruiu os oito carros alegóricos (apenas um teve partes salvas, mas não por inteiro) e mais de três mil fantasias. O primeiro desfile tinha custado R$ 10 milhões; o que será visto hoje, mais R$ 4 milhões. A Grande Rio, escola jovem, fundada em 1988 e acostumada a desfiles suntuosos, é patrocinada por empresas catarinenses.