Tucuruvi faz desfile luxuoso e sem erros

Estadão

05 Março 2011 | 04h04

[galeria id=264]

Terceira escola a desfilar na madrugada deste sábado no sambódromo do Anhembi, a Acadêmicos do Tucuruvi trouxe muita cor e carros alegóricos luxuosos para o desfile de São Paulo. A escola, que apresentou o enredo “Oxente, o que seria da gente sem essa gente? São Paulo: a capital do Nordeste!”, não conseguiu empolgar o público, mas fez um uma apresentação “sem erros”, como definiu o presidente da agremiação, Hussein Abdo El Selam, mais conhecido como Jamil.

“Da primeira à última ala, fomos perfeitos”, garantiu. Antes de a Tucuruvi entrar na avenida, os puxadores do samba mencionaram ameaças que a escola recebeu por conta do enredo, que homenageia os nordestinos que migraram para São Paulo. Eles pediram que os integrantes da escola dessem as mãos em sinal de protesto.

Já no fim do desfile, o presidente da escola rechaçou o preconceito. “A gente mostrou que o preconceito não pode existir. Ainda mais entre os brasileiros”, disse Jamil. Após o oitavo lugar no ano passado, a expectativa é de que a Acadêmicos do Tucuruvi esteja no Desfile das Campeãs este ano. Para isso, a escola precisa ficar entre as cinco primeiras colocadas do carnaval de São Paulo.  (Wladimir D’Andrade)


Confira o samba-enredo da Acadêmicos do Tucuruvi:

Sou cabra da peste, vim lá do Nordeste

São Paulo é minha capital

Levando alegria, eu vou por aí

Eu sou valente, sou Tucuruvi

Vou embarcar nessa aventura

Em busca de um lugar ao sol

Trago no peito desafio e esperança

Na bagagem a lembrança,

Sonho ou realidade.

Vou construindo ilusão,

Erguendo os pilares da cidade,

Deixando marcas da minha tradição:

Ao som do tambor, a fé em louvor, religião

“Oxente” festeira, acende a fogueira, é São João

Vem, vem provar

O sabor que vem de lá

Esse gosto, esse tempero

É de fato brasileiro.

Da sanfona um acorde tocou forte o coração

Olha o povo dançando pra lá,

Arrastando a sandália pra cá,

O forró tá danado de bom

Um sorriso é a moldura do meu traço cultural

Quando a gente se encontra, a mistura é natural.

Carrego na alma a bravura

E o orgulho de ser quem eu sou

Vai meu samba, vai! Reconheça o meu valor!

Mais conteúdo sobre:

Tucuruvi