Vigilância faz blitz antifumo no sambódromo do Anhembi

Estadão

05 Março 2011 | 22h25

Wladimir D’Andrade, da Agência Estado

A Vigilância Sanitária está fazendo blitz em todos os camarotes do sambódromo do Anhembi nesta segunda noite de desfile em São Paulo, a fim de fiscalizar o cumprimento da lei antifumo. São 16 fiscais se revezando, em equipes de quatro pessoas, para conferir se os foliões e as empresas responsáveis pelos espaços seguem a regra à risca. As punições, em caso de infração, vão de advertência ao fechamento do camarote.

O fiscal Pedro Roschel explica que, se a fiscalização flagrar fumo dentro de locais não permitidos, a empresa é autuada. Se chegar a três autuações, em diferentes blitze, o espaço é interditado, mesmo que a festa esteja ainda pela metade. Além disso, mesmo que os camarotes sejam itinerantes, isto é, montados apenas para festas, as autuações contam para o histórico da empresa, já que elas são identificadas pelo CNPJ.

O fiscal, no entanto, acredita que não haverá problemas neste carnaval. “Habitualmente o pessoal obedece a lei, então devemos ter uma noite tranquila”, disse Roschel, durante fiscalização no camarote da Brahma.