Coreografias voltam a tomar conta de Salvador

Estadão

09 Fevereiro 2013 | 15h35

 

Foto: Raul Spinassé/Agência A Tarde

Tiago Décimo, Salvador –  Segure o tchan, amarre o tchan, segure o tchan, tchan, tchan, tchan, tchan.” Quando a cantora Claudia Leitte interrompeu o show que fazia na última noite do Festival de Verão, no fim de janeiro, em Salvador, para lembrar – ou ensinar aos mais novos – a coreografia do Melô do Tchan, que marcou os verões de meados da década de 1990 na Bahia, ela já estava sinalizando aos fãs o que eles deveriam esperar do carnaval de Salvador deste ano.

As coreografias voltaram com tudo para a folia baiana. Todas as principais atrações da festa chegam ao reinado de Momo com hits de passos predefinidos.

Mesmo artistas não tão habituados à prática, como a própria Claudia e suas colegas Ivete Sangalo e Daniela Mercury, apostaram as fichas neste carnaval em músicas dançantes, com letras e coreografias fáceis.

A grande inspiração para a volta das danças ao centro da folia baiana veio da internet: hits como Ai, Se Eu te Pego, na voz de Michel Teló, e Gangnam Style, da estrela pop coreana Psy, acenderam nas redes sociais a nostalgia dos compositores locais. Não à toa, as coreografias para os candidatos à música do carnaval de Salvador estão espelhadas pelas páginas virtuais, na internet.

Claudia Leitte tem sua música de trabalho para a festa, Largadinho, no topo das programações das rádios de Salvador. A canção, composição dos músicos Fábio Alcântara, Duller e Samir, mescla axé music com kuduro – ritmo dançante surgido em Angola – e merengue caribenho. “É para a pessoa dançar como se ninguém estivesse vendo”, conta a cantora.

Disputa. A principal concorrente de Largadinho nas rádios soteropolitanas no verão tem sido Dançando, música de Márcio Victor, Felipe Scandurra e Tierry Coringa, que mescla axé com salsa caribenha e ganhou as paradas na voz do dueto Ivete Sangalo e Shakira.

“Está faltando ao axé criar mais músicas que contagiem o povão, como essa”, analisa Victor, um dos compositores do hit.

Além de Dançando, o músico assina Dançation, a aposta de sua banda, Psirico, para o carnaval. Misturando elementos do chamado pagode baiano e da música eletrônica, a canção privilegia a batida, deixando a letra – que se resume a três frases – em segundo plano. “A música tem um balanço bom, gostoso, não deixa ninguém parado”, diz Victor.

Semba. Daniela Mercury também chega à folia ensinando a coreografia de sua música de trabalho, Couchê, composição de Sergio Rocha, Adson Tapajós e Zeca Brasileiro.

A canção se baseia no semba, outro ritmo angolano. “Já no início (da carreira), em 1989, 1990, a gente gravava músicas influenciadas pelos ritmos de Angola”, diz Daniela.

A apresentação ao público da coreografia foi feita no Pôr do Som, evento que há 13 anos Daniela comanda no primeiro pôr do sol do ano, no Farol da Barra. Durante cinco minutos, a cantora ficou ensaiando os passos com o público, antes de cantar seu novo hit.

Mais conteúdo sobre:

Carnavalsalvador