A invasão consentida da Fazenda Maeda pelo MST

A invasão consentida da Fazenda Maeda pelo MST

Edmundo Leite

13 Outubro 2010 | 11h24


Uma fazenda e barracas espalhadas por uma grande área livre. O cenário quase sempre associado a uma invasão ou assentamentos de sem-terra desta vez era apenas um divertido e inofensivo festival de rock com pretensões ecológicas. Mas a apresentação do Rage Against the Machine, sábado à noite no SWU, fez alguns crerem que algo mais importante acontecia por lá e que forças ocultas estariam por trás da interrupção da transmissão do show pelo canal Multishow.

O real motivo da interrupção, acreditam, teria sido o fato de o grupo oferecer uma música ao Movimento do Sem Terra e não os contratempos ocorridos durante o show: a queda de uma barreira de separação do público e o apagão do som. Como o canal é da rede Globo – alvo preferido do pessoal chegado a uma teoria da conspiração – a coisa começou a bombar na internet.

“Galera, com uma buta estrela vermelha no fundo, simbolo da esquerda, boné do MST, e tudo em meio as eleiçoes… vcs acham que os coronéizinhos da direita reacionária da globo iriam deixar rolar para todo país ver!!??” (Miguel – 11/10/2010 às 18:53)

Ahh, o lance de apoio ao MST e o “comando” p/ invadir a VIP ganhou muito destaque. Tá na cara que a Globo não quis parecer solidária dos caras…… Segundo turno por aí….. a globo não dorme no ponto…..” (Yo – 09/10/2010 às 23:49)

“é óbvio que a globo/multishow censuraram lindamente a apresentação do RATM…estrela vermelha, homenagem ao MST e Tom Morello usando boné do MST…e depois virão com esse papo sustentável verde católico pra boi dormir!”  (iraKaplan 10/10/2010 às 2:32)

O que era uma questão de direito de consumidor – um canal pago que anunciou algo que não transmitiu inteiramente – se transformou então, como mostram as mensagens acima, numa questão política.

A se acreditar mesmo que a organização do festival e seus patrocinadores e parceiros não soubessem quem eram o Rage Against the Machine e que foram surpreendidos pelo discurso dos rapazes, é possível imaginar a crise nos bastidores, com o Eduardo Fischer e diretores de programação do canal histéricos gritando “Quem foi que trouxe esses caras aqui!!??”, enquanto o grupo e integrantes do MST, clandestinamente infiltrados nos bastidores, comemoravam a revolução que começam a fazer junto ao público do festival com o ato subversivo.

No dia seguinte, em outro aparente descuido da organização, foi a vez do Teatro Mágico subir ao palco com a camisa vermelha do movimento. Era a revolução em andamento.

Seria até divertido, mas a realidade é outra. O próprio Multishow havia anunciado durante a promoção do festival que o Rage deu ingressos de graça ao MST.  Segundo o guitarrista Tom Morello, que durante o show chegou a vestir o boné do MST, “os ingressos são caros e sei que muita gente não pode comprar, por isso demos nossa cota para o MST”. A entrevista completa, anuncia o canal, vai ao ar no programa Bastidores, nesta sexta-feira (15/10) às 22h30.

Como o Eduardo Fischer já anunciou que pretende realizar novamente o festival no próximo ano, na mesma fazenda em Itu, não custa avisar: te cuida, Maeda.

Fotos Rage Against the Machine: Mauricio Acevedo e Vinicius Mansur/Reprodução site MST;
Foto Teatro Mágico: Nicole Briones/Eldorado

# texto originalmente publicado no blog Estadão no SWU