1. Usuário
Assine o Estadão
assine
quarta-feira 15/04/15 07:34

Que gosto tem carne de cachorro?

carne-de-cachorro-coreia-do-sul-ulsan-2002-edmundo-leite-fotos-estadao-06

carne-de-cachorro-coreia-do-sul-ulsan-2002-edmundo-leite-fotos-estadao-01 Cozida, parece o cupim bovino. A constatação e a foto acima foram feitas na Coréia em 2002, e - felizmente - não numa pastelaria do Rio de Janeiro onde uma ação contra o trabalho escravo encontrou carne de cachorro num congelador. Esse detalhe... hum... nojento... para a cultura ocidental acabou ganhando mais repercussão que as condições desumanas dos imigrantes chineses que lá trabalhavam. Por causa da cobertura da Copa ...

Ler post
quarta-feira 18/03/15 17:05

Estado islâmico do rock condenou Restart

Restart

[caption id="attachment_11740" align="alignnone" width="580"]Restart Os roqueiros Thomas, Pe Lanza, Pe Lu e Koba em 2010[/caption] Roqueiros que fazem sucesso com a mulherada sempre foram desprezados pelo público masculino do rock. De Elvis Presley a Paul McCartney (individualmente e junto com os próprios Beatles), de Peter Frampton ao Marron 5, de Paulo Ricardo a Dinho Ouro Preto, não são poucos os ídolos do rock que tiveram seus méritos musicais desvalorizados por arrancar ...

Ler post
domingo 01/03/15 22:25

Rio deveria continuar capital e Brasília ser na Barra da Tijuca

mapa_brasilia

O Eixo Monumental seria a Avenida das Américas. A rodoviária seria no Shopping Downtown; o Parque da Cidade no Barra Garden Shopping;  a Praça dos Três Poderes, com o Palácio da Justiça, o Congresso Nacional e o Palácio do Planalto, entre o Barra Shopping e a Cidade da Música; No lugar do artificial Paranoá, as três lagoas: Tijuca, Jacarepaguá e Marapendi. As superquadras espalhadas pelos dois lados, com um deles de frente pro mar.  Tudo isso depois de ter passado ...

Ler post
sexta-feira 27/02/15 21:48

Olho Mágico, ilusão de ótica que virou febre mundial nos anos 90

olhomágico1

olhomágico1

Por 24 horas – uma eternidade no fuso horário da internet –  o mundo parecia ter parado para discutir as cores de um vestido.  Já nas primeiros instantes após a foto aparecer na web havia artigos de especialistas em física, psicologia, neurologia e outras ciências analisando a ilusão de ótica que faz com que alguns vejam uma peça branca e dourada e outros preta e azul. Se o Doutor Spock não tivesse morrido e desviado as atenções era capaz de o assunto já ser pauta na reunião de cúpula da ONU.

Vinte anos atrás, em 1994, não havia internet. Havia, dirão os chatos. Mas não havia, sabemos. E uma ilusão de ótica também tomou conta do mundo. O livro Olho Mágico – uma nova maneira de ver o mundo, com imagens tridimensionais geradas por computador, virou uma febre e best-seller mundial. Vendeu tanto que, igual sucessos do cinema, gerou as seqüências Olho Mágico II e Olho Mágico III, além de uma série de outros subprodutos.

1994.12.11_olhomágico

Todo mundo queria ver, dar ou ganhar de presente.  Como o efeito dependia de ficar olhando fixamente para as imagens, era comum ver gente parada com os livros nas ruas, ônibus, casas e festas apertando o olho para ver as lindas  imagens que saltavam das páginas aparentemente, na primeira olhada, apenas ilustradas com desenhos desconexos e borrões impressos. Alguns viam e outros não. E quem não conseguia ver ficava puto de ver todo mundo maravilhado, encantado, enquanto seus olhos não conseguiam vislumbrar as imagens em terceira dimensão.

A técnica por trás do que parecia ser mágica era o estereograma, que consistia em alinhar duas ou mais figuras iguais ou pouco diferentes, com uma pequena distância, para dar a impressão de profundidade. Durou cerca de um ano. E os milhões de livros que tanto encantaram foram para o lixo ou estão em sebos por aí.

1994.07.28_olhomagico

Ler post
quarta-feira 07/01/15 14:49

No Brasil, Maomé é citado em marchinhas de carnaval e rock

raulseixasmaome

Com André Mascarenhas* O ataque que matou ao menos 12 pessoas na redação da revista francesa que publicou charges do profeta muçulmano Maomé reacendeu o debate sobre liberdade de expressão, autocensura, intolerância religiosa e choque de civilizações. Como na religião muçulmana é proibida a representação das divindades e outros nomes sagrados, a publicação das charges por veículos europeus seria, segundo os extremistas religiosos, motivo para ...

Ler post
quarta-feira 10/12/14 13:16

Comissão da Verdade perdeu chance única ao desprezar lei da Anistia

Documento encontrado na cada de militar assassinado no Rio Grande do Sul

Nunca mais haverá outra oportunidade como essa. E o Brasil desperdiçou. Após mais de dois anos de trabalho, o relatório final da Comissão Nacional da Verdade é um grande TCC  (Trabalho de Conclusão de Curso), com muita compilação de informações já conhecidas e quase nenhuma novidade. Ao desprezar a Lei da Anistia e optar por nada produtivas sessões públicas de esculacho contra agentes da ditadura, a comissão jogou ...

Ler post
quinta-feira 20/11/14 07:00

Precisaria o jornalismo de uma cota racial?

54a turma de trainees

As imagens abaixo mostram duas turmas dos cursos de jornalismo promovidos pelos dois maiores jornais do País: Estadão e Folha. Em comum nas duas fotos, além de uma geração de profissionais que em breve se destacará no noticiário (como tem acontecido com muitos dos que passam por esses cursos), a ausência total de negros entre os selecionados. Alguns lembrarão, corretamente, que na turma de dois mil e tanto havia a... (como era mesmo o nome dela?) e que em mil ...

Ler post
segunda-feira 08/09/14 08:02

Ciclovia atropela faixa de pedestres em SP

faixadepedestressumare

  Uma faixa de travessia de pedestres foi atropelada por uma ciclovia na avenida Paulo VI, zona oeste de São Paulo. A faixa de pedestres sobreviveu, mas todas as suas listras brancas foram mutiladas pela via vermelha que passou por cima dela. O impacto foi tão grande que as listras ficaram espalhadas entre os dois lados do corredor para bicicletas, nove de um lado e 11 de outro. A faixa de pedestres não corre risco de vida, ...

Ler post
quinta-feira 28/08/14 14:51

Um motivo para ler o livro sobre Roberto Carlos: João Gilberto

oréueorei

Esqueça que se trata do livro mais importante lançado no Brasil nos últimos tempos. Esqueça o ótimo subtítulo provocativo. Esqueça a polêmica das biografias. Esqueça as manias de Roberto Carlos. Esqueça os bastidores de uma grande pesquisa para uma biografia. Esqueça a boa história que é vida do autor. Esqueça a curiosidade de saber como podem ser escrotos advogados que fazem qualquer coisa para defender uma causa. Esqueça o ridículo do Procure Saber. Se nem um desses motivos ainda o levou ao ...

Ler post