É possível mudar o mundo?
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

É possível mudar o mundo?

Redação

22 Outubro 2010 | 16h14

A jornalista Marcia Glogowski, que foi editora de Cidades e Geral no Estadão, visitou os focas e revelou uma motivação do início de carreira: “o jovem deseja mudar o mundo”. Como jovem jornalista, não fujo à regra. Entrei nessa profissão porque queria, sim, mudar o mundo. Mas será que realmente posso?

Infelizmente, acho que não. Ninguém muda o mundo sozinho. Mas realmente acredito em mudanças pontuais e no poder da informação. Creio em leitores que usam o conteúdo do jornal para refletir sobre a cidade e o país em que vivem, e a partir daí tomam decisões para o bem da sociedade. Não sei se eles existem aos montes, mas espero que sim.

Essa reflexão me lembrou o recado da jornalista Cecília Thompson: “o jornalista deve indignar-se ao menos uma vez por dia”. Para mim, indignar-se é encarar o mundo como quem deseja mudá-lo.

Ainda vejo o jornalismo com um brilho nos olhos. Início de carreira é como início de namoro, ainda não conhecemos os defeitos do outro. Pode ser que minha profissão me decepcione, mas por enquanto, é muito bom estar apaixonada.

Daniela Schmid, de 23 anos, é formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)