Focas atrás de notícias
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Focas atrás de notícias

Redação

07 Outubro 2010 | 14h40

A principal missão dos focas: encontrar uma boa história nos mais diversos cenários e contextos, apurar cuidadosamente e, com português impecável, contar da forma mais agradável para o leitor. Com esse intuito, percorremos o Centro de São Paulo e o Parque do Ibirapuera. Fomos atrás de notícias no primeiro turno das eleições e na coletiva com o ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge.

Até mesmo sem sair do nosso ambiente de trabalho, praticamos a percepção jornalística, descrevemos o percurso à sala do curso e um perfil de outro foca da turma. Tudo no primeiro mês do curso.

A cada anúncio das atividades, os 30 focas saem em busca de assuntos interessantes e originais. As pautas livres permitem a diversidade dos temas, mas, mesmo com o assunto delimitado, as abordagens são múltiplas e os alunos aprendem com a visão do outro.

No momento da apuração, a lista de nomes no quadro da sala chama a atenção de quem entra. Ela representa a fila para uso do telefone, sempre disputado. Todos à procura de fontes que complementem as pautas escolhidas, rendam falas e mais detalhes para enriquecer o texto.

O deadline é sempre o mesmo, às 23h59 da data combinada. Nesses dias, o movimento na sala é intenso. Mas, em meio a todo o processo jornalístico, o clima de descontração na sala ameniza a apreensão trazida pelo prazo. Os focas mais falantes e engraçados estão sempre dispostos a soltar comentários divertidos, e o restante da sala responde com risadas. Por todo o dia, o companheirismo predomina, com trocas de dicas de texto, desabafos na busca de uma produção melhor e auxílio na edição das matérias já prontas.

E, somente com o envio do texto, os alunos respiram aliviados. Até a produção do próximo texto, que nunca demora muito.

Deixo abaixo algumas das indicações de livros que recebemos nesse primeiro mês de curso.

Atrás do Palanque (José Nêumanne Pinto)
Chatô – O Rei do Brasil (Fernando Morais)
Crença e Resistência (Barbara Herrnstein Smith)
Democracia na América Latina (Marcelo Simão Branco)
Mulheres Jornalistas – A Grande Invasão (Regina Helena de Paiva Ramos)
Princípios de Macroeconomia (Gregory Mankin)
O Fundamentalismo Religioso (Klaus Kienzler)
O Reino e o Poder (Gay Talese)
O Grande Segredo da Indústria Farmacêutica (Philippe Pignarre)
Ortodoxia (Chesterton, G. K.)
Os melhores contos do Padre Brown (Chesterton, G. K.)
Os Sertões (Euclides da Cunha)
Salve-se quem puder – Uma história da especulação financeira (Edward Chancellor)
Segredos de Estilo (Christiana Francini)
The Roads to Modernity: The British, French, and American Enlightenments (Gertrude Himmelfarb)
Viagem ao Mundo dos Taleban (Lourival Sant’Anna)
Vida de Repórter (José Maria Mayrink)

Carolina Almeida, de 22 anos, é formada em Comunicação Social – Habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)

Mais conteúdo sobre:

Carolina AlmeidaMiguel Jorge