O Ano do Dragão e o calendário chinês, segundo o artista Ai Weiwei

O Ano do Dragão e o calendário chinês, segundo o artista Ai Weiwei

Gabriel Pinheiro

23 Janeiro 2012 | 14h15

Reza a lenda que o imperador de Jade, senhor dos céus na mitologia chinesa, teria convidado alguns animais para uma visita ao seu palácio (dragão, cavalo, macaco, rato, javali, coelho, cão, galo, boi, tigre, serpente e bode) com o objetivo de conhecer melhor as criaturas que habitavam a Terra. Feliz pela presença de todos, ele teria determinado que cada ano fosse dedicado à celebração de um de seus 12 convidados. Como resultado, o mundo sofreria influência das características desses animais.

Hoje se comemora o começo do Ano do Dragão, símbolo de energia, iniciativa, ousadia e poder de realização. Para celebrar a data, nada mais apropriado do que relembrar as obras do artista chinês Ai Weiwei – conhecido por seu ativismo social e suas críticas ao governo, sendo por esses motivos constante alvo de censura no país. Seu projeto ‘Circle of Animals – Zodiac Heads’, que em 2010 foi apresentado em São Paulo, resgatou a tradição em 12 esculturas contemporâneas dos animais do calendário chinês. Abaixo, algumas obras de Weiwei:

Para saber um pouco mais sobre o artista e ver outras obras, dê um pulo no site Zodiac Heads. E se você não sabe qual é o seu signo no horóscopo chinês, descubra aqui.