“Casamento gay não é comigo”

“Casamento gay não é comigo”

Claudia Belfort

30 Dezembro 2012 | 22h09

Uma empresa de transporte turístico de Annapolis, em Maryland, nos Estados Unidos, abandonou seu serviço de transporte de noivos para não ter que atender a casamentos entre pessoas do mesmo sexo.  O casamento gay foi aprovado, em novembro,  nos estados americanos de Maine e Maryland e passa a valer em 1 de janeiro 2013.

 

De acordo com o jornal Washington Post, o proprietário da Discover Annapolis Tours disse que preferiu abrir mão de uma receita anual de US 50.000 a comprometer suas convicções cristãs. No site da empresa, que presta outros tipos de serviços com os bondinhos, há um aviso que as reservas para transporte de noivos estão suspensas.  Segundo o jornal,  o proprietário Matt Grubbs diz que publicará uma explicação completa no site em 01 de janeiro.

Com essa medida, dizem especialistas em direito ouvidos pelo Washington Post, o empresário evita processos por discriminação, como tem ocorrido com outras empresas que se recusam a prestar serviços para casamentos entre pessoas do mesmo sexo.

O chefe da Associação de Profissionais do Casamento de Maryland contou ao jornal que esse é o segundo fornecedor a recuar  de um negócio em função da nova legislação. O clérigo Maryland, que liderou a oposição ao casamento homossexual, disse que a escolha do empresário foi corajosa .

O grupo Igualdade Maryland de defesa dos direitos dos homossexuais acredita que a decisão da empresa seja um caso isolado de um empresário que exerce os seus direitos. “Enquanto ele não discriminar outras pessoas, ele é livre para fazer o que quiser, inclusive sair do negócio,”  disse o diretor executivo  da organização Carrie Evans.