A mão de Sarkozy

Tutty Vasques

21 Novembro 2009 | 09h28

ilustração pojucan

ilustração pojucan

Depois de ser pego na mentira falseando no Facebook o registro de sua participação a golpes de marreta na queda do Muro de Berlim, o presidente Nicolas Sarkozy decidiu mudar de mídia para inventar história. Anda espalhando por aí na base do boca a boca que deu uma mãozinha na classificação da França para a Copa de 2010. Na hora do gol ilegal contra a Irlanda, a mão que ajeitou a bola parecia ser a esquerda de Thierry Henry, mas, em 1986, também não ficou claro se Maradona usou a própria ou a de Deus para eliminar a Inglaterra.

A França jamais será um país sério se o mundo do futebol não tomar providências – nem que seja um puxão de orelha – contra a coroação do dom de iludir transmitida do Stade de France direto para todo planeta, na quarta-feira passada. Aquilo foi como assistir a um assalto ao vivo, com detalhes sórdidos do descaramento dos trapaceiros e do desespero das vítimas. “Allez les Bleus”, mas torçam para não encontrar vossos ancestrais, os gauleses, no caminho da África do Sul. O Obelix deve estar furioso com tanta covardia!

Texto publicado no caderno Cidades/Metrópole deste sábado no Estadão.