A morte e a morte de Margaret Thatcher

Tutty Vasques

13 Abril 2013 | 00h03

reproduçãoExcluída da lista de autoridades convidadas para o funeral de Margaret Thatcher na catedral de St. Paul, Cristina Kirchner será muito bem-vinda na Trafalgar Square se resolver dar um pulinho a Londres na próxima quarta-feira.

Cenário das grandes manifestações populares no centro da capital inglesa, a praça está reservada no dia da cerimônia fúnebre oficial para servir de palco principal ao protesto dos que há uma semana festejam nas ruas a morte da ex-primeira-ministra. Coisa de gente capaz até de aplaudir a presidente da Argentina só para espezinhar a falecida!

Além de derrubar o tabu que santifica todo defunto polêmico, a morte da Dama de Ferro ressuscitou no Reino Unido o debate ideológico praticamente extinto pela inexpressividade de tantos Tonys, Gordons e Camerons que se sucederam à finada no poder!

Os britânicos voltaram, enfim, a se posicionar com entusiasmo contra ou a favor das ideias de alguém e, como sempre acontece em nesses confrontos de paixões, a polícia já está de prontidão para conter os mais exaltados.

Promete ser um funeral tão animado quanto os jogos do campeonato inglês nos tempos dos hooligans!