A sentada do Fernando Brant

Tutty Vasques

16 Julho 2013 | 00h03

reproduçãoDuas semanas depois de aprovadas no Senado, as novas regras de arrecadação dos direitos autorais no País continuam dividindo grandes compositores da música brasileira em torno de um detalhe palpitante do quebra-pau: onde diabos se sentou Fernando Brant numa daquelas acaloradas reuniões de artistas na casa da Paula Lavigne?

O autor do verso “amigo é coisa pra se guardar no lado esquerdo do peito” (‘Canção da América’) garante que assim que chegou ao local foi levado para um banco no fundo da casa, posição que o fez sentir-se “como alvo de tiros do quadro ‘o fuzilamento’, de Goya”!

Caetano Veloso desmentiu o colega em artigo de jornal: “Fernando Brant sentou-se com conforto, em posição central, com visão ampla de todos os que estavam na sala.”

Pior é que, entre os músicos em geral, a controvérsia já inspirou pelo menos outras 10 versões picantes sobre a sentada do compositor mineiro na casa da Paula Lavigne.

Ô, raça! – né não?