Abaixo a exumação!

Tutty Vasques

11 Abril 2013 | 06h03

ilustração pojucanToda exumação é degradante para qualquer falecido, mas a de Pablo Neruda tem um agravante ainda mais constrangedor: que tipo de exame farão no que restou do poeta chileno para saber se o que o matou foi mesmo a próstata, como consta do atestado de óbito, ou a ditadura Pinochet, conforme suspeita um ex-motorista do Nobel de Literatura?

Os jornais falam em “perícias necessárias” e, ainda que não sejam exatamente aquelas a que se submetem os mortais quando vão ao urologista, ninguém merece confirmar se morreu mesmo disso 40 anos depois de partir desta para melhor. A História devia ter outros meios de se reescrever com justiça!

Até porque nada garante que, exumando figuras históricas, vá se recuperar a verdade. O Yasser Arafat, por exemplo, foi desenterrado em novembro do ano passado e até hoje não se chegou a nenhuma conclusão sobre seu suposto envenenamento.

Pior foi o Tim Maia, coitado, interrompido em seu descanso eterno para fazer papel de corno numa investigação de paternidade: era outro o pai da criança que brigava por herança na Justiça.

Enfim, no meu governo, vou criminalizar a exumação de uma maneira geral! Conto com seu voto?