Corrente pra frente

Tutty Vasques

17 Abril 2012 | 00h01

ilustração pojucanApós um fim de semana de grande apreensão, o Brasil só relaxou nesta segunda-feira com a divulgação do boletim médico comunicando a saída de José Sarney da UTI do Sírio Libanês.

Pensou-se logo no pior quando o senador deu entrada com dores no peito no hospital de 9 entre 10 autoridades com problemas de saúde em todo território nacional!

Tão rápida quanto a notícia, uma corrente de orações espalhou-se País afora em intenção do presidente do Senado.

Nessas horas, como se sabe, o brasileiro é de uma solidariedade ecumênica a toda prova!

Teve gente que acendeu velas pra santa, montou despacho na esquina, rezou o terço, prometeu parar de fumar, cruzou os dedos, fez figa…

Esforço que, no final, foi suplantado pelo destaque que o noticiário deu à competência da equipe do cardiologista Roberto Kalil Filho.

Também, pudera!

A vida pública, de forma quase que genérica, deve muito ao médico que já tratou do Maluf, do Collor, do Lula, do Serra e da Dilma, não necessariamente nessa ordem.
Cuidou também do José Alencar, mas isso não diminui em nada – muito pelo contrário – a fé de quem continua orando pelos homens públicos no Brasil.