Depois do incêndio vem a bonança

Tutty Vasques

09 Março 2011 | 06h14

agsadgJá deve ter escola de samba até de São Paulo programando tocar fogo no barracão em janeiro de 2012. Pergunta só aos componentes das cariocas União da Ilha, Grande Rio e Portela como foi bom desfilar este ano dispensados do julgamento oficial, contrapartida aos prejuízos amargados pelas três agremiações no incêndio de um mês atrás na Cidade do Samba. Sem pressão de busca pela vitória ou risco de rebaixamento, o carnaval fica muito mais divertido para quem sabe brincar com os pés.

Se o barracão do Salgueiro tivesse lambido em chamas junto com os das coirmãs aqui citadas, a escola não teria vivido na avenida o desespero da perda de ponto por 10 minutos estourados no tempo regulamentar de desfile. Por outro lado, não fosse hors-concours, a Grande Rio estaria até agora lamentando a chuva, que só desabou pra valer sobre a Marquês de Sapucaí durante sua passagem pelo sambódromo. O temporal, no caso, serviu tão-somente para lavar a alma da comunidade de Duque de Caxias.

Injustiça maior será ter que escolher hoje a melhor entre Unidos da Tijuca e Beija-Flor. Não sei se o leitor tem a sua campeã, a minha este ano é a Sheron Menezzes, que, diga-se de passagem, também não está em julgamento.