Deus e o diabo na terra do Sol

Tutty Vasques

20 Julho 2013 | 06h39

reproduçãoO comportamento bipolar do ser humano vive dias de exposição máxima no Rio. No extremo oposto à fúria dos vândalos, a alegria sem freio da juventude católica também vem ganhando as ruas em pequenos bandos de gente feliz da vida. O amor e o ódio estão à solta na cidade!

Tudo é perigoso ou divino maravilhoso! Ao dobrar uma esquina, você nunca sabe a coreografia que te espera, sorte de quem dá de cara com a turma que tem Jesus no coração. É uma rapaziada que canta, dança, sorri, bate palminha, agita bandeirolas, reza e dá graças a Deus por tudo-isso-que-aí-está, inclusive a vida como ela é!

Mal recuperado da ressaca da Copa das Confederações, o carioca prepara-se para “dois réveillons” da Jornada Mundial da Juventude em Copacabana. Os vândalos devem continuar no Leblon.

Serão dias entre o céu, o inferno, o mar e as montanhas, mas o carioca precisa ir se acostumando: falta ainda a Copa de 2014 e a Olimpíada de 2016, fora o Carnaval, o Rock in Rio, o Réveillon…!