Estilo Brasil

Tutty Vasques

10 Março 2011 | 06h00

O papa Bento XVI bateu o martelo: vai pela primeira vez a um programa de televisão durante a Semana Santa. O Vaticano não confirma, mas também não desmente, a possibilidade de o Sumo Pontífice aproveitar o ensejo para fazer nos estúdios da RAI uma omelete que, dizem na Santa Sé, é de comer de joelhos quando ele acerta o ponto. O boato correu na Internet depois que o jornal britânico ‘The Guardian” incluiu Dilma Rousseff na lista de mulheres mais inspiradoras da atualidade.

Parece que está na moda lá fora se inspirar nas atitudes mais marcantes do governo Dilma. A cantora inglesa Lilly Allen, por exemplo, estreou dia desses programa na TV britânica diagnosticando a colega Madonna como “retardada mental”, no melhor estilo Emir Sader. O cientista político, como se sabe, ficou célebre na semana passada ao subir ao palco da direção da Casa de Rui Barbosa para chamar sua ex-futura chefe – a ministra da Cultura, Ana de Hollanda – de “autista”.

Há, também, quem veja algumas semelhanças entre os modos de atuação política dos filhos de Kadafi com certos setores da base aliada do governo, especialmente do PMDB, mas isso é intriga da oposição – ô, raça!