Felipão não quer dizer nada

Tutty Vasques

01 Dezembro 2012 | 06h09

ilustração pojucanOs bravos funcionários do Banco do Brasil não devem levar a “má colocação” de Felipão pro lado pessoal: o técnico não quis dizer o que disse quando se referiu à moleza que seria trabalhar na instituição! Tudo que ele diz nunca quer dizer nada!

O que de fato importa, ele não diz! Na véspera de ser confirmado técnico da seleção, por exemplo, jurou de pés juntos que não havia mantido nenhum contato com a CBF.

Quando diz “minha preocupação é passar à seleção tudo o que já vivi e todos os lugares em que já estive no mundo como técnico e pessoa” ou “não estamos fazendo uma Copa com o intuito de ser vice, terceiro ou quarto”, este é o verdadeiro Felipão, craque em platitudes.

Não à toa, detesta jornalistas bisbilhoteiros, especialmente os que, ao longo de sua carreira, se interessaram em revelar um outro Felipão, que cita Pinochet como referência de disciplinador e manda seu time jogar duro com o adversário: “É só quebrar, chutar e cuspir que ele afina!”

Mas não foi este, decerto, o Felipão que falou besteira sobre a moleza de trabalhar no BB. O caso é tão-somente, como definiu o técnico, de “má colocação”! E não se fala mais nisso, ok?