Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Brasil

Brasil » O chato da cerveja

Brasil

Tutty Vasques

13 Agosto 2013 | 06h52

reproduçãoCom a chegada triunfal ao mercado brasileiro de uma infinita variedade de cervejas artesanais aditivadas de especiarias incomuns ao néctar, já existe por aí uma confraria de chatos muito parecida com a dos famosos degustadores de vinhos.

Gente que, logo no primeiro copo, observa a coloração, o aroma, o retro-gosto e a gaseificação da bebida que para a maioria dos mortais só precisa estar estupidamente gelada.

Quem pedir “uma cerveja, por favor” num boteco metido à besta corre o risco de ser submetido a um interrogatório sobre as inúmeras alternativas que o garçom – quando não o ‘sommellier de cervejas’ – tem a oferecer ao consumidor.

“De quê família aromática?”; “de baixa ou de alta fermentação?”; “com malte torrado ou dose extra de lúpulo?” “Pilsen com mandioca ou weiss com mel?”

O mais provável é que, constrangido, o pobre coitado que só quer refrescar a goela vá molhar o bico no ‘pé sujo’ mais próximo. Ou troque o pedido para “uma caipirinha”.

Encontrou algum erro? Entre em contato