Pra frente Brasil!

Tutty Vasques

04 Abril 2013 | 02h49

reproduçãoCom resultados piores até que os da seleção neste primeiro trimestre de 2013, a economia brasileira foi surpreendida dia desses pela notícia de que, em meio à saraivada de números negativos, a opinião pública – ô, raça! – acaba de recuperar a fé nas finanças do País, conforme levantamento da Confederação Nacional da Indústria.

O Índice Nacional de Expectativa do Consumidor de março subiu 0,6%, justo no momento em que a produção industrial despencou, o preço do remédio foi reajustado, a confiança dos comerciantes caiu, a balança comercial teve pior resultado em 12 anos e o quilo do tomate continua pela hora da morte.

Isso quer dizer o seguinte: o otimismo do brasileiro fugiu novamente de controle e, pensando bem, talvez seja melhor assim! O mais deprimente em toda crise financeira – pior até que os desarranjos ocasionais do penteado da Miriam Leitão no ‘Bom Dia Brasil’ – é o ser humano em pânico com a pindaíba federal.

A cultura do fim do mundo tem raízes profundas no noticiário econômico: a crise é, por vezes, só um estado de espírito dos bens informados. O melhor que o leitor pode fazer nessas horas é torcer: vai Brasil!