Sofram rapazes!

Tutty Vasques

21 Julho 2011 | 02h10

Não é de hoje que o futebol desperta emoções tão distintas quanto extremas entre quem torce e quem joga pela Seleção. A novidade nesta fatídica Copa América é o seguinte: os que normalmente sofrem com o vexame nacional trocaram de lado com os que em geral não estão nem aí para os próprios fiascos. O gosto amargo da derrota pulou o alambrado, quem dá de ombros agora é a galera das arquibancadas.

Senão, vejamos:

Na capa do caderno de Esportes do ‘Estadão’ de terça-feira, o santista Elano contou aos repórteres Sílvio Barsetti e Paulo Galdieri o drama de quem estava em campo após a patética eliminação do Brasil em La Plata: “Ninguém dormiu, todo mundo chorou, foi pior do que perder o Mundial”.

No alto da página 2 da mesma edição do jornal, o colunista Luiz Zanin comentava: “Francamente, não vi qualquer sinal de decepção entre os torcedores pela desclassificação da seleção (…) Ninguém estava ligando muito para esta Copa América.”

Cá pra nós, não doeu nada comparado à tristeza de não chegar às semifinais da Copa da África do Sul em 2010 – lembra? Nem o domingo estragou! Não é nada, não é nada, melhor assim: é a vez deles sofrerem!