Aplicativo ajuda a encontrar vagas para idosos e pessoas com deficiência em estacionamentos

Aplicativo ajuda a encontrar vagas para idosos e pessoas com deficiência em estacionamentos

Parknet, que começa a funcionar em São Paulo, é colaborativo e permite, entre outras funções, denunciar espaços ocupados irregularmente. App tem versões para Android e iOS e foi desenvolvido no 'Residência MobiLab', da prefeitura paulistana.

Luiz Alexandre Souza Ventura

05 Setembro 2016 | 15h54

Parknet é o nome do aplicativo desenvolvido por uma das startups do Residência MobiLab que mostra a localização de todas as vagas reservadas a pessoas com deficiência e idosos na cidade de São Paulo, com possibilidade de traçar rotas até o local de estacionamento desejado.

A capital paulista tem mais de três mil vagas de estacionamento em vias públicas reservadas para idosos e pessoas com deficiência, espalhados pelos 1.523 km² da cidade.

O software, disponível para ANDROID e iOS, será lançado oficialmente nesta terça-feira, 6, às 14h, na sede do MobiLab.


A partir de um ambiente colaborativo, os usuários podem notificar a existência de vagas ainda não mapeadas, ou até denunciar locais ocupados irregularmente. Para utilizar vagas reservadas em estacionamentos, o cidadão precisa do Cartão DeFis-DSV.

Para utilizar vagas reservadas em estacionamento, é necessário ter o Cartão DeFis-DSV. Só podem solicitar este documento pessoas com deficiência física ambulatória nos membros inferiores ou autônoma (decorrente de incapacidade mental), com mobilidade reduzida temporária com alto grau de comprometimento, com deficiência visual e com dificuldade de locomoção.

Os usuários que se encontram nestas condições devem comparecer à ‘DSV – Autorizações Especiais’, na Rua Sumidouro, nº 740, em Pinheiros, com documentação pré-estabelecida (clique aqui).

O ‘MobiLab– Laboratório de Mobilidade Urbana da cidade de São Paulo’, busca o desenvolvimento de soluções para melhoria da gestão da mobilidade urbana e o fomento de iniciativas que contribuam com inovação, transparência e participação da sociedade civil.

Um de seus programas é o Residência MobiLab, que está em sua primeira edição e abriga atualmente oito startups que desenvolvem soluções tecnológicas com potencial de impacto positivo nos desafios relacionados à melhoria da mobilidade urbana na cidade de São Paulo.