Grandes empresas firmam pacto para inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho

Grandes empresas firmam pacto para inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho

Organizações fazem parte da Rede Empresarial de Inclusão Social. Documento estabelece metas e diretrizes para promover uma cultura interna e um ambiente inclusivo e acessível nas empresas, cria um diagnóstico e o monitoramento do progresso das organizações para a inclusão, além de avaliar constantemente o interesse genuíno das empresas envolvidas em cumprir os compromissos assumidos. Leia a íntegra da carta de adesão.

Luiz Alexandre Souza Ventura

20 Outubro 2016 | 15h44

Antonio Salvador (Grupo Pão de Açucar - GPA), Christiane Berlinck (IBM), Beatriz Sairafi Heinemann (Accenture), Maria Elisa Gualandi Verri (TozziniFreire Advogados), José Luiz Rossi (Serasa Experian), Fábio Maceira (JLL), Alexandre Espinosa (Natura), Roberto Martorelli (EY) e Osvaldo Kalaf (Dow) assinaram a carta. Foto: Divulgação

Antonio Salvador (Grupo Pão de Açucar – GPA), Christiane Berlinck (IBM), Beatriz Sairafi Heinemann (Accenture), Maria Elisa Gualandi Verri (TozziniFreire Advogados), José Luiz Rossi (Serasa Experian), Fábio Maceira (JLL), Alexandre Espinosa (Natura), Roberto Martorelli (EY) e Osvaldo Kalaf (Dow) assinaram a carta. Foto: Divulgação


A assinatura da carta de adesão ao Pacto pela Inclusão de Pessoas com Deficiência foi o momento central do 24º encontro da Rede Empresarial de Inclusão Social, realizado nesta quinta-feira, 20, na zona sul de São Paulo.

Accenture, Dow, EY, GPA (Grupo Pão de Açucar), IBM, JLL (Jones Lang LaSalle), Natura, Serasa Experian e TozziniFreire Advogados firmaram o compromisso, estendido a todas as corporações participantes da iniciativa que nasceu em 2012.

O documento estabelece metas e diretrizes para promover uma cultura interna e um ambiente inclusivo e acessível nas empresas, cria um diagnóstico e o monitoramento do progresso das organizações para a inclusão, além de avaliar constantemente o interesse genuíno das empresas envolvidas em cumprir os compromissos assumidos.


A carta assinada tem a chancela da OIT (Organização Internacional do Trabalho), que não mantém um órgão oficial no Brasil, mas delegou à Rede Empresarial de Inclusão a autoridade para liderar esse trabalho no País.

“Este é um momento de mudança do patamar de desenvolvimento da Rede”, afirmou
Esteban Tromel, Senior Disability Specialist da OIT, que participou do evento por meio de videoconferência.

REDE

Abaixo, a íntegra da Carta de Adesão ao Pacto pela Inclusão de Pessoas com Deficiência.

Considerando os princípios, leis e normas de respeito aos direitos das pessoas com deficiência, sobretudo, a Declaração Universal dos Direitos Humanos, a Convenção da ONU (Organização das Nações Unidas) sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, a Lei Brasileira de Inclusão e a Carta de Compromisso da Rede Global de Empresas e Deficiência da OIT (Charter Principles – ILO Global Business and Disability Network),

Reconhecendo que a deficiência é um conceito em evolução e que é resultado da interação com diversas barreiras, obstruindo a participação plena e efetiva das pessoas com deficiência na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas,

Considerando que a discriminação baseada na deficiência, configura violação da dignidade e do valor inerente ao ser humano,

Reconhecendo a importância da acessibilidade em todas as suas dimensões, para possibilitar as pessoas com deficiência o pleno exercício de seus direitos, inclusive da liberdade para fazer suas próprias escolhas,

Considerando que é responsabilidade de todas as pessoas e organizações promover o direito à igualdade, à liberdade, ao acesso a oportunidades, bem como trazer questões relativas à deficiência para a criação de estratégias relevantes de desenvolvimento sustentável ao negócio,

Ressaltando que é responsabilidade também das empresas, uma vez que estas possuem importante papel na promoção do respeito à todas as pessoas,

A Rede Empresarial de Inclusão Social estabelece o Pacto pela Inclusão de Pessoas com Deficiência e define seus compromissos pela Promoção dos Direitos das Pessoas com Deficiência, sendo eles:

1. Comprometer a alta liderança com o respeito e a promoção dos direitos das Pessoas com Deficiência.

2. Desenvolver políticas e procedimentos com vistas às ações afirmativas em todos os âmbitos da organização.

3. Promover cultura e ambiente inclusivos e acessíveis a todas as pessoas com deficiência.

4. Comunicar e educar para o respeito dos direitos e deveres das pessoas com deficiência.

5. Incluir a questão da deficiência na estratégia da empresa, bem como no planejamento de produtos, serviços e atendimento a clientes.

Portanto, ao aderirmos ao Pacto pela Inclusão de Pessoa com Deficiência, expressamos:

a) Nosso interesse em cumprir com os compromissos, mesmo que ainda não estejamos atendendo com toda a agenda proposta;

b) Nossa responsabilidade em diagnosticar e monitorar o progresso da empresa no que diz respeito à inclusão das pessoas com deficiência;

c) Nosso engajamento e posicionamento formal e público, evidenciando o compromisso com os direitos das pessoas com deficiência.

Desta forma, eu __________________________, representando a empresa ___________________________, assino o Pacto pela Inclusão de Pessoa com Deficiência, expressando nosso compromisso em implementar estes princípios e ações propostas.

Local, ___ de __________________ de ______.

_____________________________________________
[Nome Completo]
[Cargo *CEO/Diretor]

ANEXO 1

Descrição dos 5 Compromissos da Empresa pela Inclusão das Pessoas com Deficiência

1. Comprometer a alta liderança com o respeito e a promoção dos direitos das Pessoas com Deficiência.

A alta liderança deve:

Envolver-se nas ações de inclusão das pessoas com deficiência.

Disseminar, respeitar e assegurar os direitos das pessoas com deficiência em documentos, processos e políticas.

Conter e repudiar situações de discriminação.

Promover uma cultura de inclusão e de valorização da diversidade.

Considerar os termos do Pacto ao estabelecer parcerias com outras empresas e organizações.

Fomentar o engajamento de toda cadeia de valor na temática da inclusão da pessoa com deficiência.

2. Desenvolver políticas e procedimentos com vistas às ações afirmativas em todos os âmbitos da organização.

Criar política e ações de combate à discriminação.

Equiparar oportunidades e salários.

Garantir um processo seletivo focado no potencial e não na limitação.

Implementar plano de desenvolvimento e carreira.

Estimular para que a liderança tenha metas de contratação de pessoas com deficiência.

Possibilitar autonomia e empoderamento.

Fomentar a contratação de pessoas com deficiência severa e reabilitados.

3. Promover cultura e ambiente inclusivos e acessíveis a todas as pessoas com deficiência.

Garantir acessibilidade em todas as suas dimensões: atitudinal, metodológica, instrumental, comunicacional, arquitetônica, programática e natural (se aplicável).

Priorizar o uso do conceito de desenho universal para instalações, serviços e produtos.
Considerar o conceito de adaptação razoável e tecnologias assistivas para assegurar o tratamento justo e igualitário.

Disseminar o conhecimento sobre acessibilidade para toda a organização.

4. Comunicar e educar para o respeito dos diretos e deveres das pessoas com deficiência.
Desenvolver e acompanhar comunicações (internas e externas) promovendo a inclusão e evitando a discriminação.

Definir uma agenda positiva para a promoção da inclusão.

Garantir que o valor à diversidade esteja em todos os programas de desenvolvimento de pessoas na empresa.

Disseminar o valor à diversidade para todos os públicos de interesse da organização.

5. Incluir a questão da deficiência na estratégia da empresa, bem como no planejamento de produtos, serviços e atendimento a clientes.

Tornar a questão da deficiência como valor da empresa e direcionar as tomadas de decisão com base no respeito aos direitos da pessoa com deficiência.

Desenvolver canais de atendimento acessíveis para pessoas com deficiência.
Repudiar atos de discriminação, preconceitos e estereótipos.

Criar canais de diálogo e garantir a participação das pessoas com deficiência para decisões que as envolvem.

Incentivar, criar e/ou elaborar produtos, serviços, equipamentos e instalações que garantam a inclusão das pessoas com deficiência.

Acompanhe o blog Vencer Limites nas redes sociais