Microsoft Brasil cria centro de tecnologia para acessibilidade

Microsoft Brasil cria centro de tecnologia para acessibilidade

Luiz Alexandre Souza Ventura

12 Fevereiro 2014 | 13h38

Curta Facebook.com/VencerLimites
Siga @LexVentura
Mande mensagem para blogvencerlimites@gmail.com
O que você precisa saber sobre pessoas com deficiência

A Microsoft Brasil inaugurou nesta terça-feira, 11, um espaço (pioneiro entre todas as unidades da empresa no mundo) para o desenvolvimento e a apresentação de ferramentas com foco na acessibilidade para o mercado de trabalho. O local irá funcionar dentro do centro de tecnologia que a companhia mantém na zona sul de São Paulo.

A meta principal é mostrar como a tecnologia pode ser útil para empresas e pessoas (com deficiência ou não). Na primeira fase, será aberto somente para empresas. “Vamos criar, em uma segunda fase, uma agenda para visitas individuais, provavelmente com as pessoas reunidas em pequenos grupos”, afirma Fábio Souto, diretor do centro de tecnologia.


A ideia inicial foi apresentada pelo gerente de desenvolvimento de negócios da área de inovação, Alessandro Bueno, e rapidamente ganhou adeptos dentro da empresa, em diversas áreas.

Tabata Contri e Carolina Ignarra, sócias-consultoras da Talento Incluir, uma das empresas parceiras da Microsoft nos trabalhos de acessibilidade, afirmam que “a inclusão de trabalhadores com deficiência é uma responsabilidade que precisa ser dividida por todas as áreas de uma empresa. Não é função somente do RH”.

Ambas usam cadeiras de rodas e dizem que apenas a chegada delas em um novo cliente já causa impacto. “Os programas de inclusão e acessibilidade precisam ser elaborados de acordo com a necessidade das pessoas”, ressaltam.

A Tecassistiva também vai atuar em parceria com a Microsoft. Especializada em softwares e equipamentos para pessoas com deficiência, a empresa tem uma série de produtos (veja galeria de fotos abaixo) que aliam tecnologia e acessibilidade. Entre eles, se destaca a Linha Braille, um dispositivo ligado ao computador que traduz para o braille os textos apresentados na tela.

O evento de inauguração do espaço de acessibilidade da Microsoft teve ainda a presença de Emmanuelle Alkimin Leão, secretária dos Direitos da Pessoa com Deficiência da Prefeitura Municipal de Campinas, e foi encerrado com um debate sobre a tecnologia conectada ao crescimento pessoal, com a participação de Paulo Graça, analista do Banco BTG Pactual, e Alexandre Santos Costa, desenvolvedor no Banco Itaú. Ambos têm deficiência visual.

Mais conteúdo sobre:

AcessibilidadeMicrosoftTecnologia