Onda da Paz

Onda da Paz

"É fundamental que as pessoas transportem esse sentimento de paz para a vida diária. O ser humano precisa de amor", diz Augusto Leitão, coordenador do movimento.

Luiz Alexandre Souza Ventura

08 Dezembro 2014 | 11h01

Curta Facebook.com/VencerLimites
Siga @LexVentura
Mande mensagem para blogvencerlimites@gmail.com
O que você precisa saber sobre pessoas com deficiência

Movimento Onda da Paz reuniu centenas de pessoas nas praias de Santos/SP. Foto: blog Vencer Limites - 07/12/2014

Movimento Onda da Paz reuniu centenas de pessoas nas praias de Santos/SP. Foto: blog Vencer Limites – 07/12/2014

Centenas de mãos unidas, sob o sol do meio-dia, formaram uma corrente em nome da paz, neste domingo, nas praias de Santos, litoral sul de São Paulo. Organizado pelo movimento Onda da Paz, o evento teve como meta principal a reflexão. “É necessário acreditar na paz, acreditar no seu semelhante”, diz Augusto Leitão, coordenador da ação. “O bem ainda impera sobre a violência, mas é fundamental que as pessoas transportem esse sentimento de paz para a vida diária, no trânsito, na família, com mais paciência, união e tolerância. O ser humano precisa de amor”, diz.

“É necessário acreditar na paz, acreditar no seu semelhante”, diz Augusto Leitão, coordenador do Onda da Paz. Foto: blog Vencer Limites – 07/12/2014

Em 2013, a primeira edição do Onda da Paz reuniu sete mil pessoas, em uma corrente ininterrupta, que percorreu quase oito quilômetros, entre o Emissário Submarino, próximo à divisa com São Vicente, e o Aquário Municipal, na Ponta da Praia. Neste ano, o número de participantes foi menor, mas Augusto Leitão explica que o propósito não é bater recordes. “Queremos plantar uma semente, que pode se tornar uma árvore. Não importa se a corrente tem 30 ou três mil pessoas. O que vale é o sentimento”.

E foi este sentimento que motivou o funcionário público Abílio Ferreira, de 59 anos, a rumar para a Praia do Gonzaga com a esposa, a cunhada e uma sobrinha. “Eu sou da paz”, diz, sorrindo. “Será muito melhor se todos nós pensarmos na paz”, afirma. Antes de tudo começar, a família se abraçava para registrar a experiência em muitas ‘selfies’ com vários ângulos.

“Será muito melhor se todos nós pensarmos na paz”, afirma o funcionário público Abílio Ferreira. Foto: blog Vencer Limites – 07/12/2014

Para a professora Angelina de Jesus Silva, de 62 anos, movimentos pela paz sempre são válidos. E uma feliz coincidência a levou à praia para caminhar vestindo uma camisa branca. “Não sabia do evento, mas decidi entrar na corrente. Essa energia vai dominar o planeta”, afirma.

“Essa energia vai dominar o planeta”, diz a professora Angelina de Jesus Silva. Foto: blog Vencer Limites – 07/12/2014

Mestre – Augusto Leitão é mestre em tai chi chuan e ministra aulas em Santos há 28 anos. A cidade mantém oficinas gratuitas em diversos pontos. Para participar, basta comparecer. Horários e locais são informados na página www.santos.sp.gov.br.

Mais conteúdo sobre:

Onda da PazSantos