2º piloto do Legacy nega que sistema anticolisão estivesse desligado

Joseph Lepore afirmou que equipamento anticolisão não estava desligado; envolvidos no acidente que matou 154 pessoas em 2006 prestam depoimento nesta semana

Agência Brasil,

31 Março 2011 | 19h32

BRASÍLIA - O piloto norte-americano Joseph Lepore negou nesta quinta-feira, 31, que o equipamento anticolisão do jato Legacy estivesse desligado no momento do choque com o Boeing da Gol, em 2006. O acidente provocou a morte das 154 pessoas que estavam a bordo da aeronave brasileira.

 

Lepore e Jan Paladino, que também pilotava o jato, são acusados de ter levantado voo com o sistema anticolisão desligado e de não terem acionado o transponder, equipamento que informa a posição da aeronave para o controle de trafego aéreo e outros aviões.

 

Durante interrogatório, Lepore explicou que a expressão "it's off", utilizada em conversa gravada pela caixa-preta do Legacy logo após o acidente, indicava que o equipamento anticolisão não havia sinalizado nenhum tipo de choque - e não que ele estaria desligado.

 

O piloto ressaltou, entretanto, que, alguns dias após o acidente, foram constatados problemas com o equipamento. Ele também negou que o jato estivesse voando em uma aerovia de mão única e na contramão.

 

Lepore está em Nova York e é ouvido pelo juiz federal Murilo Mendes por meio de videoconferência. Ontem, também durante interrogatório, Jan Paladino reconheceu que nunca havia pilotado um avião Legacy até o dia do acidente, mas negou que tenha ligado o equipamento anticolisão apenas após o choque.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.