SEBASTIAO MOREIRA/AE
SEBASTIAO MOREIRA/AE

43 das 50 cidades mais perigosas do mundo estão na América Latina

Conflitos entre quadrilhas, corrupção e instituições públicas frágeis são os fatores que contribuem para os altos níveis de violência em toda a região

The Economist

20 Abril 2017 | 17h14

A América Latina continua a ser a região mais violenta do mundo, levando-se em consideração países que não estão em guerra. De acordo com dados publicados pela The Economist do Igarapé Institute, um think-tank brasileiro independente, 43 das 50 cidades com mais homicídios do mundo e oito entre os top 10 estão na América Latina e no Caribe. 

Os conflitos entre quadrilhas, corrupção e instituições públicas frágeis são os fatores que contribuem para os altos níveis de violência em toda a região. El Salvado continuou sendo o primeiro do ranking. Em 2015 e 2016 foi considerado o país mais violento do mundo e sua capital, San Salvador, a cidade com mais homicídios. 

O Brasil domina o meio do ranking. Isso reflete principalmente sua grande população. Durante o ano passado, a violência mudou de lugar dentro do Brasil. A taxa de assassinato caiu nas maiores cidades, mas aumentou em menores. Em Marabá e Viamão, os homicídios aumentaram em 20% em um ano, enquanto em São Paulo, a cidade mais populosa do Brasil, os assassinatos caíram 55% entre 2014 e 2015. Por conta do tamanho, o Brasil lidera como capital mundial do homicídio.

Acapulco, uma estância balneária no México, ficou logo atrás de San Salvador, o que reflete uma tendência nacional. A taxa global do México subiu de 14,1 assassinatos por 100 mil pessoas para 17. Esse valor é quase igual ao encontrado na época de pico de violência no México, durante as guerras de drogas em 2011. 

Como resultado, seis cidades mexicanas estão entre as primeiras 50, três mais do que um ano antes. E não há nenhuma evidência de uma reversão em 2017. O número de assassinatos no México durante os dois primeiros meses de 2017 é o mais alto para janeiro e fevereiro desde que os registros começaram.

Somente dois países fora da América Latina possuem cidades no top 50: Estados Unidos e África do Sul. Nos Estados Unidos, o único país rico nesta lista, um pico nos homicídios levou Detroit e Nova Orleans a se juntarem a St. Louis e Baltimore, que já figuravam na lista do ano passado. A África do Sul é o único país fora das Américas neste ranking. Duas novas cidades, Nelson Mandela Bay e Buffalo City, foram adicionadas à lista, principalmente porque a coleta de dados está melhorando no país. A taxa de homicídios na África do Sul subiu 5% no ano passado, embora outros crimes violentos caíram.

© 2017 THE ECONOMIST NEWSPAPER LIMITED. DIREITOS RESERVADOS. TRADUZIDO POR ALEXANDRE HUBNER, PUBLICADO SOB LICENÇA. O TEXTO ORIGINAL EM INGLÊS ESTÁ EM WWW.ECONOMIST.COM.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.