Paulo Belote/Globo
Paulo Belote/Globo

Advogado pede que Justiça suspenda investigação sobre ex-BBB

Pedido alega que a delegada responsável pelo caso não tem atribuição para presidir inquérito e que Emilly Araújo não prestou queixa

Roberta Pennafort, O Estado de S.Paulo

19 Abril 2017 | 12h03
Atualizado 19 Abril 2017 | 19h32

Correções: 19/04/2017 | 19h32

RIO - O advogado Roberto Flávio Cavalcanti entrou com um pedido de habeas corpus para suspender as investigações da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) de Jacarepaguá, na zona oeste do Rio de Janeiro, que apuram agressão do ex-participante do Big Brother Brasil (BBB) Marcos Harter, de 37 anos, contra Emilly Araújo, de 20, sua namorada na 17ª edição do reality show. 

O advogado, que não tem vínculo com a defesa de Harter, alega que a delegada designada para o caso, Viviane da Costa, não tem atribuição para presidir o inquérito e que Emilly não prestou queixa contra ele. No programa, a jovem, que venceu o BBB, concluído semana passada, defendeu o namorado, por não considerar que tenha sido agredida.

Em suas redes sociais, Harter disse que tomou conhecimento nesta quarta-feira, pela imprensa, sobre o pedido de habeas corpus. "Isso não foi efetuado por mim nem pelos advogados que me representam. Já estamos tomando as medidas cabíveis", disse o ex-BBB.

Na segunda-feira, 17, Emilly foi à delegacia depor. Ela não deu entrevistas.

O juiz Marco Couto, da 1ª Vara Criminal de Jacarepaguá, determinou que a delegada Viviane preste esclarecimentos sobre o caso em até 72 horas.  A partir disso, o magistrado vai decidir sobre a concessão ou não da liminar.  

Agressões. Harter foi expulso do programa depois de acuar Emilly contra uma parede, intimidá-la com o dedo em riste, gritar com ela, beliscá-la e apertar seu pulso.

A TV Globo considerou que o participante feriu as regras do reality show, segundo as quais são proibidas agressões físicas.

Em sua defesa, Harter escreveu uma nota em que pediu desculpas. "Como todo casal, passamos por momentos de alegria, ansiedade, euforia e tensão", declarou. "Jamais tive a intenção de machucar física ou emocionalmente uma pessoa pela qual nutri tanto carinho e afeto."

Correções
19/04/2017 | 19h32

O texto foi alterado para corrigir a informação de que o ex-BBB teria entrado com pedido de habeas corpus. Quem entrou com o pedido foi o advogado Roberto Flávio Cavalcanti, que não faz parte da defesa de Marcos Harter. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.