Advogados desafiam promotor a mostrar provas

O criminalista Luiz Flávio Borges D"Urso, que defende João Vaccari Neto, rechaçou com veemência a acusação: "Posso afiançar que a denúncia é absolutamente improcedente. Um dos períodos em que a administração da Bancoop se portou com maior lisura e transparência foi na gestão Vaccari." O tesoureiro do PT não apareceu para depor na CPI. D"Urso asseverou: "Durante anos o promotor nunca apresentou nada. Não adianta ficar só no discurso. Com a denúncia, Vaccari terá a oportunidade de mostrar a verdade e mostrar que saneou a cooperativa."

Fausto Macedo, O Estado de S.Paulo

20 Outubro 2010 | 00h00

Para o advogado Pedro Dallari, que representa a Bancoop, "as acusações são fantasiosas, não têm consistência". "A direção da Bancoop nunca foi ouvida, isso é grave. Curioso que a denúncia tenha sido apresentada a apenas 10 dias da eleição. Fica evidente a tentativa de fazer da denúncia um instrumento político. O promotor não apresenta provas. O laudo ficou pronto segunda-feira e a denúncia já saiu hoje (ontem). Revela açodamento de acordo com o calendário eleitoral."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.