Aeronautas podem entrar em greve no Rio

Comissários de bordo e pilotos podem cruzar os braços nesta quinta-feira, 13, se as companhias aéreas não derem uma resposta à proposta salarial apresentada pelos trabalhadores em reunião

Glauber Gonçalves/RIO,

12 Dezembro 2012 | 18h58

Comissários de bordo e pilotos podem cruzar os braços nesta quinta-feira, 13, se as companhias aéreas não derem uma resposta à proposta salarial apresentada pelos trabalhadores em reunião realizada na quarta-feira no Rio. Caso não haja avanço nas negociações até as 13h, quando os aeronautas devem se reunir em assembleias, a intenção dos profissionais é confirmar o indicativo de greve e paralisar as atividades imediatamente até a meia-noite desta quinta-feira.

"Se não houver uma resposta do sindicato patronal, nós consideraremos que está mantida a proposta anterior já rejeitada e vamos levar adiante a posição de greve", declarou o presidente da Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil (Fentac), Celso Klafke.

Os trabalhadores exigem reposição da inflação, mas as aéreas oferecem reajustes de 1,5% e a 6%, esse último porcentual apenas para os profissionais que ganham até R$ 852. Com custos em alta e resultados negativos, as companhias argumentam que não têm condições de dar aumentos expressivos aos trabalhadores.

O Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (Snea) diz que já reajustou os salários com base porcentuais oferecidos como antecipação, a ser compensada quando for celebrada a convenção coletiva ou estabelecido dissídio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.