Afilhado de Pagot, superintendente deixa o Dnit em MT

O superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes em Mato Grosso, Nilton Britto, afilhado de Luiz Antônio Pagot, pediu exoneração do cargo. Apesar de ter o nome citado na crise no Ministério dos Transportes por suposto favorecimento a seu irmão - o empresário Milton Brito, dono da Engenorte Construções, que há cerca de dois anos mantém contratos milionários com o Dnit -, ele enfatizou que o pedido foi em solidariedade à saída do ex-diretor: "Sou leal a Pagot. Ele sai, eu saio".

Fátima Lessa, O Estado de S.Paulo

27 Julho 2011 | 00h00

"Só estou esperando a publicação no Diário Oficial da União e volto para o meu cantinho", disse Brito ontem, enquanto limpava as gavetas. Foi na Secretaria de Infraestrutura, da qual é funcionário de carreira há 33 anos, que começou sua amizade com Pagot, em 2003, quando este assumiu. Britto não esconde que ficou magoado com a vinculação do seu nome a "tráfico de influência". Seu único problema, diz, é ter irmão empresário. "Ele é um empresário bem-sucedido e participa de licitações como os outros. Continuará participando e, com certeza, vai ganhar outras".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.