Além de fins de semana, Tamoios terá restrição para caminhões em feriados

Ideia é reduzir acidentes e congestionamentos enfrentados por quem viaja ao litoral norte; sindicato de transporte de cargas reclama

Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo

18 Janeiro 2012 | 08h04

SÃO PAULO - Para evitar as longas filas de carros parados nos congestionamentos da Rodovia dos Tamoios, que liga São José dos Campos - e as Rodovias Presidente Dutra e Carvalho Pinto - às cidades do litoral norte do Estado, o governo não só renovou ontem a restrição ao trânsito de caminhões pesados durante os fins de semana de janeiro e fevereiro como aumentou o pacote de proibições para os dias de feriados prolongados até o fim deste ano e respectivas vésperas.

Na pista sentido litoral, a proibição se dará nas manhãs de sábado - das 8 horas ao meio-dia. Já no sentido interior, o veto valerá nas tardes e noites de domingo - entre 15 horas e 23 horas. Esses são os horários mais utilizados por carros que descem e sobem a serra. Neste ano, vésperas de feriados como Páscoa, Corpus Christi e Independência também terão o tráfego fechado para os caminhões. Mas a única véspera de feriado no meio da semana (em uma quarta-feira) será em 14 de novembro, que antecede a Proclamação da República.

A restrição também vale para a Rodovia Mogi-Bertioga, que também terá horários específicos para os caminhões - das 8h às 12h aos sábados, no sentido Bertioga, e das 15h às 23h

Turismo. A medida prioriza os carros de passeio - turistas da capital e da região do Vale do Paraíba que vão às praias - e foi tomada "considerando a necessidade de oferecer maior segurança aos usuários e melhor fluidez ao tráfego", segundo portaria do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), órgão da Secretaria de Estado de Logística e Transportes que administras as rodovias gerenciadas diretamente pelo governo do Estado.

A expectativa é de que, só neste mês, a Tamoios receba semanalmente 88,6 mil veículos. No mês que vem, o volume será de 73,1 mil. Para comparação, em dezembro, a Tamoios teve fluxo semanal de 64 mil.

A portaria prevê, por outro lado, que em dias de baixo movimento, mesmo em feriados, a restrição possa ser relaxada e a Polícia Militar Rodoviária permita caminhões na via.

A sinalização indicativa sobre a proibição já está instalada. A portaria que regulamenta a restrição aos caminhões foi publicada ontem no Diário Oficial do Estado e renovou proibição parecida à que vigorou no ano passado.

O Porto de São Sebastião, que recebe boa parte do tráfego de caminhões da Tamoios, já está adequado à regra - caminhões só podem descarregar ali de segunda a sexta-feira. Mas o secretário de Trânsito de Caraguatatuba, João Batista Amandes, afirma que não só o porto é responsável pelo grande fluxo de veículos pesados na Tamoios. "Nos últimos anos, o trânsito de caminhões tem crescido muito. Temos grandes redes varejistas, lojas de material de construção. E elas precisam ser abastecidas." Mesmo assim, ele concorda com a restrição e espera que ela reduza acidentes de trânsito envolvendo carretas no trecho de serra da via. Na semana passada, um caminhão tombado na via fechou a Tamoios por sete horas.

Quem discorda são os empresários do setor de transporte de cargas. "A Tamoios é o único acesso às cidades do litoral norte. Se o motorista está em Santos, até compensa vir pela Rodovia Rio-Santos. Mas, se está em São Paulo, é preciso esperar. E os caminhões ficam nos postos pela rodovia", afirma Laércio Lourenço, presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Carga do Vale do Paraíba.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.