Aloysio, que não escondeu FHC, supera favoritos

Colocado pelas pesquisas atrás de Marta e Netinho de Paula, tucano surpreende e tira a vaga do cantor

Ana Paula Scinocca, O Estado de S.Paulo

04 Outubro 2010 | 00h00

Aloysio Nunes Ferreira fez campanha como tucano legítimo. Foi o único que não escondeu Fernando Henrique Cardoso, fazendo do ex-presidente e símbolo maior do PSDB seu principal cabo eleitoral na campanha ao Senado. Em votação surpreendente, foi eleito ontem senador com quase 11 milhões de votos, apesar de ele aparecer apenas em terceiro lugar nas pesquisas de véspera.

Ex-secretário da Casa Civil de José Serra, ex-vice-governador de São Paulo na gestão de Luiz Antônio Fleury Filho, ex-ministro da Justiça no governo FHC, Aloysio fez campanha sem renegar o passado. Foi um dos poucos tucanos a fazer também críticas contundentes ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que exibe alto índice de popularidade.

Nas andanças pelo interior do Estado, o ex-homem forte do governo Serra focou no ex-governador e candidato ao Palácio dos Bandeirantes, Geraldo Alckmin. Usou depoimentos de prefeitos paulistas em seu favor e, sem sobressaltos, foi subindo nas pesquisas. Seu crescimento também pode ser atribuído à saída de cena de Orestes Quércia (PMDB) da disputa ao Senado. Ao deixar a campanha, por motivo de saúde, o peemedebista recomendou voto em Aloysio.

Outro fator que contribuiu para a vitória de Aloysio foi a "carona" que o tucano pegou nas campanhas de deputados não apenas do PSDB como do PMDB. Seu nome apareceu em vários santinhos de postulantes a vagas na Câmara e na Assembleia Legislativa. A mesma estratégia, em 2006, quase fez com que Guilherme Afif Domingos (DEM) roubasse a vaga do senador petista Eduardo Suplicy.

Aloysio acompanhou a apuração em casa, no bairro de Higienópolis, acompanhado da mulher, filhas e netos. Recebia os números com euforia. Segundo relato de pessoas próximas, o tucano enxergava a vitória, mas não em primeiro lugar. Ao confirmar que sua vaga estava, de fato, assegurada, Aloysio fez questão de telefonar para Quércia e FHC, a quem agradeceu o apoio e as declarações de voto. O tucano foi um dos primeiros a votar na Faculdade D. Pedro, em São José do Rio Preto, sua terra natal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.