Anac quer se livrar da responsabilidade da pista, diz deputada

Em sessão da CPI, Luciana Genro questiona engenheiro da Infraero sobre segurança da pista de Congonhas

31 Julho 2007 | 14h03

Durante sessão da CPI do Apagão Aéreo, nesta terça-feira, 31, a deputada Luciana Genro (PSOL) disse que a Anac e a Infraero querem se eximir da responsabilidade da pista, ao afirmarem que ela é segura. Indignada, Genro disse ao superintendente de Empreendimentos de Engenharia da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), Armando Schneider Filho, que presta depoimento,  que não entende essa "segurança", que deixou pelo menos 200 mortos, no acidente da TAM.    Congonhas reabriu sem atestado, diz Schneider  CPI analisa transcrições da caixa-preta  CPI recebe diálogos de controladores e pilotos  Pereira vai à CPI após confirmação de saída  Procon multa a Gol em R$ 672 mil  TAM restringe pousos com reverso pinado  ENQUETE: qual a pior frase da crise aérea?     "Eu não entendo, fico indignada ,quando dizem que a "pista é segura", sendo que pilotos já vieram dizer que ela é escorregadia. Acho que há uma tentativa da Infraero e da Anac em tentar escamotear o problema da pista. Por isso a Anac veio aqui dizer que não tinha nada a ver com pista. Foi apenas uma manutenção, foi um jogo de palavras pra se eximir da responsabilidade da pista".   Em resposta, Schneider disse que se baseia em seus conhecimentos de engenheiro para alegar segurança da pista de Congonhas. Entretanto, ao ser questionado sobre as reclamações de pilotos, que reportam que a pista é escorregadia em dias de chuva, Schneider respondeu:   "Não, não é normal (a pista escorregadia), mas a pista atende a todos os requisitos de segurança.Insisto que a pista foi executada da melhor maneira que poderia ser feita. A pista de Congonhas é segura".   A deputada não se convenceu e insistiu no perigo da pista para pousos em dias de chuvas. " Para mim, está evidente que a pista contribuiu (para o acidente da TAM). Mas eu não consigo entender a sua insistência em dizer que a pista é segura".  

Mais conteúdo sobre:
Vôo 3054 CPI crise aérea

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.