Após assassinato de colega, taxistas protestam no Distrito Federal

Taxista foi morto na região do Lago Sul no sábado; ninguém foi preso

João Paulo Carvalho , estadão.com.br

18 Julho 2011 | 14h06

SÃO PAULO - Mais de 150 taxistas que trabalham no aeroporto fizeram uma manifestação na manhã desta segunda-feira, 18, em protesto pela morte de Sebastião Pereira Chaves, morto no último sábado. Eles saíram do aeroporto e foram em direção ao cemitério.

 

Segundo o secretário do Sindicato dos Taxistas do Distrito Federal, Sérgio Aureliano, eles reivindicam mais segurança para a categoria. "Após as 22h não temos policiamento no aeroporto. É um absurdo", explicou Sérgio.

 

Morte. Chaves foi assassinado com um tiro no pescoço na noite do último sábado, na região do Lago Sul, em Brasília. O corpo da vítima foi localizado na QL 03, próximo a um posto de gasolina. Ainda não há informações sobre os motivos do crime. Há suspeitas de assalto. Ninguém foi preso.

 

De acordo com a Polícia Militar, o assassino pegou o táxi no Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek por volta das 21h. O taxista, de 62 anos, pode ter reagido ao suposto assalto. O bandido atirou, jogou o corpo fora do veículo e fugiu, sem levar nada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.